Saúde e Bem-estar

Novo grupo de trabalho vai analisar norma que exclui dadores de sangue por comportamento sexual

Os partidos falam em discriminação e exigem medidas urgentes.

A Direção Geral da Saúde admite rever os critérios de exclusão de dadores de sangue baseados no comportamento sexual. Em causa está uma norma da DGS de 2016.

Em causa estão várias denuncias de práticas discriminatórias em relação a homens que fazem sexo com outros homens. A polémica não é nova mas ganhou novo impulso depois de há pouco mais de um mês um homem ter sido impedido de dar sangue num posto fixo de doação em Lisboa. O argumento para ser impedido foi apenas o de ser um homem que faz sexo com outro homem.

Os partidos falam em discriminação e exigem medidas urgentes. O Governo respondeu com a criação de um grupo de trabalho e deu o prazo de uma semana para que a norma seja revista.

A Presidente do Instituto Português do Sangue foi esta terça-feira ouvida no Parlamento.