Saúde e Bem-estar

Investigadores estudam moléculas que atrasem a progressão da doença de Machado-Joseph em ratinhos

A ilha das Flores é o local do mundo com maior prevalência da doença de Machado-Joseph.

Investigadores da Universidade do Minho estudam moléculas que consigam atrasar a progressão da doença de Machado-Joseph, uma doença neurodegenerativa grave.

Os resultados em ratinhos são promissores, mas faltam estudos em humanos.

No Dia Mundial das Doenças Raras, que hoje se assinala, os cientistas alertam para a importância do Estado financiar os ensaios clínicos.

  • O bicho homem em quatro episódios

    Opinião

    Gostava muito de partilhar o otimismo de Attenborough e de Bregman. Mas depois há episódios como o da Superliga. Ou o das vacinas concentradas no hemisfério Norte. E a esperança esvai-se. Como as superfícies geladas do Ártico no verão.

    Cristina Figueiredo