Grande Reportagem SIC

"A Lavandaria" hoje e amanhã no Jornal da Noite da SIC

"A Lavandaria" é a Grande Reportagem SIC desta quarta e quinta-feira. Um trabalho de Pedro Coelho, com imagem de José Silva, edição de imagem de Ricardo Tenreiro, grafismo de Patrícia Reis, produção editorial de Diana Matias e coordenação de Amélia Moura Ramos.

Durante 2 anos a Polícia Judiciária portuguesa e a Polícia Nacional de Espanha investigaram, em conjunto, uma rede de tráfico de droga, que operava em Espanha, e uma rede de lavagem de dinheiro, com sede em Portugal. O dinheiro sujo da droga era lavado na lavandaria em Portugal. Entre 2013 e 2015 terão sido lavados cerca de 150 milhões de euros. Durante 3 meses, a SIC mergulhou neste mega processo. Entre Portugal e Espanha reconstituímos um caso único que deixou marcas na investigação policial. Emitida em dois episódios, esta é uma Grande Reportagem para ver, hoje e amanhã, no Jornal da Noite da SIC. O jornalista da SIC, Pedro Coelho, esteve na Edição da Manhã.

  • A Lavandaria

    Grande Reportagem SIC

    Durante 2 anos a Polícia Judiciária portuguesa e a Polícia Nacional de Espanha investigaram em conjunto uma rede de tráfico de droga, que operava em Espanha, e uma rede de lavagem de dinheiro, com sede em Portugal. O dinheiro sujo da droga era lavado na lavandaria em Portugal. Entre 2013 e 2015 terão sido lavados cerca de 150 milhões de euros.

  • O processo de lavagem de dinheiro sujo
    2:18

    País

    "A Lavandaria" é a Grande Reportagem SIC desta quarta e quinta-feira. Um trabalho de Pedro Coelho, com imagem de José Silva, edição de imagem de Ricardo Tenreiro, grafismo de Patrícia Reis, produção editorial de Diana Matias e coordenação de Amélia Moura Ramos.

  • Medo, solidão e falta de afetos: como a pandemia lhes mudou a vida

    Coronavírus

    No Dia Internacional do Idoso, contamos a história de duas pessoas que têm em comum a solidão. A de Zulmira Marques, de 92 anos. Há 6 meses era alegre e passeava com as amigas quase todos os dias. Depois veio a pandemia e ficou “completamente sozinha” durante três meses. Agora não quer sair de casa. Tem vários medos. A outra é a de Maria do Céu. Morreu em junho, aos 87 anos. Os últimos dias de vida foram passados numa cama de hospital. Não pôde despedir-se das duas filhas.

    Rita Rogado