País

Protesto de ex-paraquedistas: CDS acusa Governo de colocar Portugal de luto 

Presidente do CDS coloca-se ao lado dos militares.  

O líder do CDS reagiu ao protesto dos paraquedistas, acusando o Governo de colocar Portugal de luto ao atacar os valores das Forças Armadas.

"Hoje o socialismo colocou Portugal de luto pelo ataque que fez a todos os nossos militares, onde durante a parada militar as nossas tropas paraquedistas foram impedidas de cantar o seu hino de guerra por este Governo socialista e pelas suas imposições do politicamente correto", disse, em Portimão.

Francisco Rodrigues dos Santos avisou que cabe ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, perceber se o Executivo tem condições para continuar.

O dirigente pediu respeito pelas tradições militares, defendendo que "não são negociáveis".

Defendeu ainda que Portugal "deve muito às suas Forças Armadas", cujas tradições "devem ser respeitadas pelo passado do serviço ao país e pelo seu histórico valor corajoso de sacrificar a sua vida para defender a Bandeira".

Veja também: