País

Operação Cartão Vermelho. Juiz Carlos Alexandre aceita proposta de caução apresentada por Luís Filipe Vieira

ANTÓNIO PEDRO SANTOS

Caução de três milhões de euros.

O juiz Carlos Alexandre aceitou a nova proposta de Luís Filipe Vieira para o pagamento da caução de três milhões de euros, no âmbito da Operação Cartão Vermelho.

O ex-presidente do Benfica propôs pagar a caução através da entrega de dois imóveis da sociedade Royal Brick, que é detida pelos dois filhos, cujo valor ronda os 2,8 milhões de euros, e 240 mil euros em dinheiro.

Fonte ligada ao processo, citada pela agência Lusa, adianta que Vieira, em prisão domiciliária desde 10 de julho, poderá sair entre sexta-feira e sábado, depois do despacho do juiz de instrução.

O pagamento vai ser feito através da constituição de uma hipoteca sobre os imóveis e do depósito de 200 mil euros.

Na primeira proposta de pagamento da caução, recusada pelo juiz Carlos Alexandre, Vieira queria dar como garantia ações do Benfica e parte de um imóvel, situado em Sesimbra.

No processo Cartão Vermelho, Luís Filipe Vieira, além da prisão domiciliária até ao pagamento da caução, tem como medidas de coação a proibição de sair do país, com a entrega do passaporte, e de contactar com os outros arguidos do processo: o empresário.

José António dos Santos e o advogado e agente Bruno Macedo, sendo a exceção o seu filho Tiago Vieira e de vários elementos ligados ao Novo Banco.

Luís Filipe Vieira foi um dos quatro detidos no início de julho numa investigação que envolve negócios e financiamentos superiores a 100 milhões de euros, com prejuízos para o Estado, SAD do Benfica e Novo Banco e está indiciado por abuso de confiança, burla qualificada, falsificação de documentos, branqueamento de capitais, fraude fiscal e abuso de informação.