País

Sindicatos da PSP e GNR saem de reunião com o Governo sem garantia

As forças de segurança consideram que o valor de risco justo para os profissionais é 400 euros.

Terminou, sem acordo, a reunião entre os dirigentes sindicais da PSP e da GNR e o Governo. Em cima da mesa esteve a atribuição de um subsídio de risco de 400 euros. Durante o encontro, as forças de segurança estiveram em protesto em frente ao Ministério da Administração Interna.

Depois de duas horas reunidos com o secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna, os sindicatos da PSP e associações socioprofissionais da GNR saíram sem nenhuma garantia.

Enquanto decorria a reunião, mais de 200 elementos de ambas as forças de segurança juntaram-se em frente ao Ministério da Administração Interna para dizerem ao que vinham: 400 euros é o valor que estes profissionais consideram justo para o exercício da profissão que acarreta riscos diários.

As negociações continuam em stand by até a próxima semana. Dia 28 de julho, as associações e sindicatos voltam a reunir-se com o Governo e haverá também mais um protesto em frente ao Ministério da Administração Interna.

Veja mais: