País

Passos Coelho acusa esquerda de "desqualificar" SNS

António Soares

António Soares

Edição de Imagem

Humberto Candeias

Humberto Candeias

Repórter de Imagem

Na apresentação de um livro sobre o sistema de saúde, o antigo primeiro-ministro deixou duras críticas ao Governo.

Pedro Passos Coelho, ex-líder do PSD, acusou esta quarta-feira, na apresentação de um livro de António Alvim, o Governo de "desqualificar" o Serviço Nacional de Saúde e alertou para a urgência de fazer novas reformas, mesmo que se façam "em confronto".

Passos Coelho considera que o Serviço Nacional de Saúde está perto de um ponto sem retorno e que os políticos não podem continuar a fingir que não conhecem os problemas.

A solução - segundo o antigo primeiro-ministro - passa por reformas, ainda que "em confronto". O ex-líder do PSD diz que os problemas devem ser enfrentados e, se for preciso, com reformas sem consensos obrigatórios.

As acusações do antigo primeiro-ministro surgiram um dia depois de Rui Rio se ter queixado, precisamente, da falta de entendimentos com o Governo.

Pedro Passos Coelho discursou durante 50 minutos, uma intervenção em que apontou o dedo ao imobilismo do país e defendeu que há reformas que não podem esperar mais.