País

Marcelo e Costa hoje em Andorra com cimeira Ibero-Americana e comunidades portuguesas na agenda

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (E), conversa com primeiro-ministro, António Costa (D), momentos antes do início da XII Sessão de apresentação sobre a “Situação Epidemiológica da COVID-19 em Portugal”, no Infarmed, em Lisboa

ANTÓNIO COTRIM

Comunidade portuguesa é a segunda maior estrangeira do principado.

O Presidente da República e o primeiro-ministro estarão hoje em Andorra no primeiro de dois dias da XXVII Cimeira Ibero-Americana, ambos com uma agenda intensa que também inclui um encontro com representantes da comunidade portuguesa neste principado.

Logo no primeiro ponto do programa, ao início da tarde, Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa, assim como o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, recebem representantes da comunidade portuguesa em Andorra.

Uma comunidade que é a segunda maior estrangeira do principado - composta por cerca de 10.500 pessoas - logo após a espanhola, e que representa aproximadamente 14% da população total do principado. Os portugueses em Andorra são maioritariamente originários do norte de Portugal e dedicam-se principalmente ao comércio, à construção civil e à hotelaria.

Em setembro de 2019, o Presidente da República fez uma visita oficial a Andorra de cerca de 24 horas, tendo sido acolhido nas ruas da capital, Andorra-a-Velha, por cerca de duas centenas de emigrantes portugueses e lusodescendentes.

Após este encontro, Marcelo Rebelo de Sousa participa na "cerimónia de boas-vindas e saudação às bandeiras" da cimeira ibero-americana que decorrerá em formato semipresencial por causa da pandemia de covid-19.

Além dos chefes de Estado e de Governo de Portugal, estarão presentes na cimeira o rei e o primeiro-ministro de Espanha, e os presidentes da Guatemala e da República Dominicana. Os chefes de Estado da Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai, Venezuela, México, Costa Rica, El Salvador, Honduras, Nicarágua, Panamá e Cuba participam por videoconferência.

Antes da cerimónia de abertura da cimeira, prevista para as 19:00 de Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa intervém a meio da tarde no XIII Encontro Empresarial Ibero-Americano - evento em que o primeiro-ministro fará duas intervenções.

António Costa falará primeiro num painel sobre "reforço da capacidade de preparação e resposta nacional, regional e global face a futuras pandemias", debruçando-se, em concreto, sobre as lições dadas à escala mundial pela pandemia de covid-19.

A seguir, pouco depois de uma intervenção por videoconferência do Presidente de França, Emmanuel Macron, o líder do executivo português aborda a questão relativa às reformas do sistema multilateral ao nível da saúde que devem ser feitas com urgência.

A questão da covid-19 vai ser um dos temas centrais desta Cimeira Ibero-Americana, a par das matérias relacionadas com o desenvolvimento sustentável, a inovação e a cooperação.

Nesta cimeira, segundo fonte diplomática portuguesa, os chefes de Estado e de Governo ibero-americanos deverão adotar uma declaração de natureza política, denominada "Compromisso de Andorra", em matéria de Inovação e desenvolvimento sustentável, tendo em vista conferir maior operacionalidade ao programa de ação acordado.

Ainda segundo a mesma fonte, durante a cimeira, deverão igualmente ser aprovadas três Iniciativas de cooperação ibero-americana, entre as quais uma proposta de Portugal sobre cidadania global para o desenvolvimento sustentável, assim como dezasseis comunicados especiais apresentados por Estados-membros desta organização e que abordam temas como o acesso equitativo e universal às vacinas contra a covid-19.

  • 4:18