País

"Um autocarro a hidrogénio hoje ainda é muito caro e o problema está no custo do hidrogénio"

Odacir Júnior

Odacir Júnior

Repórter de Imagem

Vanda Paixão

Vanda Paixão

Editora de Imagem

Diana Matias

Diana Matias

Produtora Editorial

Edgar Keats

Edgar Keats

Pós-produção áudio

A CaetanoBus é o maior fabricante de carroçarias e autocarros em Portugal e é também a primeira empresa da Europa a usar a tecnologia de pilha de combustível da Toyota.

A empresa da Salvador Caetano diz que, em 2025, estará a produzir, por ano, 150 autocarros movidos a hidrogénio, num investimento de 40 milhões de euros.

Para já, o número é menor, mas suficiente para ocupar, neste momento, 20 trabalhadores depois de terem começado com cinco. José Ramos, o presidente da CaetanoBus, garante que o objetivo é chegar a ter 40 a trabalhar só nos autocarros movidos a hidrogénio. Mas José Ramos também sabe que enquanto o hidrogénio tiver os preços atuais e enquanto não houver nem um posto de abastecimento em Portugal, vai ser difícil encontrar, no país, compradores para estes novos veículos.

Veja também:

  • Vamos falar de jejum: era capaz de ficar 16 horas por dia sem comer?

    País

    O jejum intermitente é um regime alimentar que impõe um período de restrição alimentar. Existem vários modelos, mas o mais conhecido é dividido em 16 horas de jejum e oito horas em que pode comer livremente. Os especialistas reconhecem benefícios nesta prática, mas afirmam que a investigação científica ainda é escassa.

    Exclusivo Online

    Filipa Traqueia