País

Chuva intensa provoca cheias no Algarve

Os concelhos de Loulé, Albufeira e Olhão são os mais afetados. Foram registadas dezenas de ocorrências. Chuva provocou o corte de várias estradas e inundações em estabelecimentos comerciais.

A chuva intensa e persistente que esta manhã atingiu o Algarve provocou cheias em várias cidades.

Segundo a Proteção Civil, foram registadas 32 ocorrências relacionadas com o mau tempo durante a manhã. Um número que subiu para as 80 pelas 12h30. Os concelhos de Loulé, Albufeira, Silves e Olhão são os mais afetados.

O número de ocorrências deverá subir, uma vez que algumas das situações “estão a ser acompanhadas a nível municipal e serão reportadas mais tarde”, explica à Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS)

As cheias obrigaram ao corte de estradas e vários estabelecimentos comerciais ficaram inundados. Os moradores estão preocupados com os problemas de escoamento.

Em Silves, a queda de um muro causou danos em oito viaturas que estavam estacionadas na via pública. Na zona industrial de Loulé houve “pequenas inundações” em armazéns. Várias habitações e estabelecimentos comerciais em toda a região do Algarve foram também afetadas pela subida da água.

Durante a manhã, a chuva não mostrou sinais de abrandamento, mas para a parte da tarde há previsão de melhoria das condições atmosféricas.

  • Marcelo Rebelo de Sousa: aprender a perder para depois ganhar o país

    Presidenciais

    Marcelo Rebelo de Sousa foi um predestinado. Nasceu e cresceu à boleia da ditadura, mas a sua luta foi pela democracia. Parecia não alimentar a vontade de alcançar altos cargos políticos e chegou mesmo a invocar o nome de Deus em vão: "Nem que Cristo desça à Terra!", dizia Marcelo. Declarou também que dez anos como Presidente da República era muito tempo. Mas ei-lo de novo a contrariar-se e a seguir o caminho que já lhe vinha a ser apontado.

    Ana Luísa Monteiro

  • Obrigado!

    Desafios da Mente

    As pessoas que sentem mais gratidão apreciam, de forma mais geral, os aspetos positivos em si e no mundo. Este fator confere um papel-chave à gratidão na determinação da saúde mental, uma vez que a depressão traz uma visão negativa sobre o próprio, o mundo e o futuro. Pelo contrário, a gratidão pode formar uma tríade positiva que compreende visões positivas sobre o próprio, o mundo e o futuro (otimismo).