País

"Não está perspetivada a substituição" de Jerónimo de Sousa no PCP

Jerónimo de Sousa e Arménio Carlos no 1.º de Maio de 2019

MÁRIO CRUZ

As declarações de Arménio Carlos.

Arménio Carlos disse esta sexta-feira que a questão de sucessão de Jerónimo de Sousa no PCP ainda não se coloca. No entanto, afirmou também que, quando acontecer, deverá ter uma solução distinta da que aconteceu nos anos 90, quando foi para substituir Álvaro Cunhal.

"Foi o Álvaro que fez questão de dizer que a vida tem de se sobrepor a determinadas posições. Ele entendia que era altura de sair. Como sabemos, o Álvaro foi um homem marcante na vida do partido e do país. Criou-se um sentimento de que o Álvaro não podia sair de secretário-geral e encontrou-se uma solução. Creio que a situação hoje poderá não ser essa."

As declarações foram feitas à SIC, no Pavilhão Paz e Amizade, em Loures, onde está a decorrer o congresso do PCP até domingo.

Arménio Carlos admite que acordo com o PS prejudicou autárquicas

Questionado sobre a diminuição de votos no Partido Comunista, nos últimos anos, Arménio Carlos admitiu que possa haver uma relação com o facto do PCP ter feito um acordo com o PS na legislatura anterior.

"Isso foi mais evidente nas eleições autárquicas. Como sabemos, uma parte do eleitorado do PS votava na CDU e nas últimas autárquicas uma parte desse eleitorado regressou ao PS. Admito que pode ter havido aí alguma influência (do acordo assinado com o PS)"