País

INEM recusa atraso para chegar ao local da queda do Canadair no Gerês

ARMENIO BELO

Helicóptero demorou uma hora e 13 minutos a chegar.

O Canadair, ao serviço do centro de meios aéreos de Castelo Branco, despenhou-se às 11h19 de sábado. No momento da queda, o aparelho voava há três horas e acabara de fazer mais um reabastecimento.

Caiu em plena zona de montanha em declive até ao lago da barragem do Lindoso, um local onde só é possível chegar a pé.

A cronologia do INEM

O primeiro helicóptero acionado pelo INEM, teve, por isso, de aterrar a 300 metros do local. Aterrou às 12h28. Quinze minutos depois, a equipa de socorro estava no local da queda, 1h13 depois de ser acionado.

A precisão de horas e minutos divulgados pelo INEM surge depois de, este domingo, um jornal garantir em título que o helicóptero da emergência médica demorara três horas para chegar ao local.

O INEM rejeita ter-se atrasado no socorro.

As vítimas

O copiloto do avião que no sábado se despenhou nas margens da barragem do Lindoso, no concelho de Ponte da Barca, está estável e livre de perigo. O cidadão espanhol, de 39 anos, era um dos dois tripulantes do Canadair que participava no combate ao fogo do Gerês. Está internado no hospital de Braga.

No acidente acabou por morrer o piloto, Jorge Jardim, de 65 anos.

Governo ordena abertura de inquérito ao acidente

O ministro da Administração Interna ordenou a abertura de um inquérito ao acidente.

O uso de Canadair em zonas como o Parque Nacional Peneda-Gerês está a levantar questões para alguns especialistas. O presidente do Centro de Estudos e Intervenção em Proteção Civil fala em riscos acrescidos para este tipo de meios.

Marcelo lembra que todo o cuidado é pouco na época de incêndios

O Presidente da República lamentou este domingo as vítimas mortais dos incêndios.

De visita a Silves, no Algarve, para um encontro com os autarcas da região, Marcelo Rebelo de Sousa disse ainda que todo o cuidado é pouco durante esta época e felicitou os bombeiros pela capacidade de resposta.

Gerês continua a arder

No Gerês, mais de 150 bombeiros continuam a combater o incêndio. Em 24 horas já terão ardido cerca de 100 hectares.