País

Infraestruturas de Portugal descarta responsabilidades no acidente de Soure

PAULO CUNHA

Presidente garante que troço em Soure está equipado com sistemas “tecnologicamente avançados”.

A Infraestruturas de Portugal (IP) garantiu esta segunda-feira que deu cumprimento a todas as recomendações feitas pelo Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes Ferroviários (GPIAAF) em 2018 a que não instalação do sistema de controlo automático de velocidade nos veículos de conservação de catenária se deveu a "uma situação muitíssimo complexa do ponto de vista técnico".

“A Linha do Norte, em particular este troço [onde decorreu o acidente], está equipada de sistemas tecnologicamente avançados, dotados de mecanismos modernos de segurança, o que infelizmente não impediu o acidente”, afirmou o Presidente da empresa.

Em causa está o sistema automático de bloqueio quando se ultrapassa um sinal vermelho - o CONVEL - equipado em todos os comboios que circulam na ferrovia em Portugal, menos nos veículos de manutenção.

Nas recomendações de há dois anos, o GPIAAF pedia a “reanálise do risco correspondente à inexistência do sistema CONVEL nos veículos de manutenção da ferrovia”.

Avisos feitos depois de se ter descoberto que desde 2010 a sinalização foi desrespeitada por mais de 10 veículos de manutenção.

“A IP deu cumprimento a todas as recomendações da entidade que se mostraram de implementação imediata e tem vindo a promover procedimentos necessários para a execução das restantes”, garantiu António Laranjo.

“Tecnologia ultrapassada”

Na mesma conferência de imprensa, o vice-presidente da Infraestruturas de Portugal assume que a tecnologia utilizada por este sistema de segurança está “relativamente ultrapassada” e que ainda a falta instalar em algumas linhas principais do país.

Carlos Fernandes revela que há 1.600 quilómetros de rede férrea com CONVEL e sinalização eletrónica instalada, mas que falta instalar noutros 950 quilómetros. Apesar disso, informa que uma semana antes do acidente estava a ser contratualizado um novo fornecedor do serviço.

“Desde 22 de julho temos uma proposta que nos dá a segurança de que podemos avançar com alguma celeridade para a instalação desta tecnologia”.

O CONVEL começou a ser implementado em Portugal há 27 anos.

Aberta investigação interna

Ainda hoje, o presidente da IP, António Laranjo, revelou que já foi aberta uma investigação interna para apurar as causas do acidente de comboio em Soure, que fez duas vítimas mortais.

“Estamos a colaborar com o GPIAAF no apuramento das causas e responsabilidades e agiremos em conformidade com as suas conclusões”, disse.

Acidente causou dois mortos

Na última sexta-feira, o acidente com um Alfa Pendular em Soure, perto de Coimbra, provocou a morte de duas pessoas e ferimentos em 43 outras, depois de um Veículo de Conservação de Catenária, no qual seguiam duas pessoas - as duas vítimas mortais -, ter passado um sinal vermelho e entrado na Linha do Norte, tendo sido abalroado pelo comboio Alfa Pendular.

Dois dos três feridos que continuam internados nos Hospitais da Universidade de Coimbra mantêm prognóstico reservado, mas não correm risco de vida

  • 34:18