País

Mudança de vento no fogo na Lousã terá sido provocada pela trovoada seca

Mudança de vento no fogo na Lousã terá sido provocada pela trovoada seca

Um bombeiro morreu e três ficaram feridos.

Um bombeiro morreu e outros três ficaram feridos no sábado durante o combate a um incêndio na Serra da Lousã.

A primeira equipa de bombeiros que chegou ao fogo terá sido surpreendida com a alteração das condições meteorológicas. O Comandante Nacional da Proteção Civil diz que a trovoada seca poderá ter estado na origem da mudança de vento.

O fogo foi dominado por volta das 21h00 e no local estiveram 250 operacionais apoiados por 70 viaturas.

Inalação de fumo apontada como possível causa da morte

Sobre a causa da morte do chefe da corporação de bombeiros de Miranda do Corvo ainda não há certezas, mas uma das hipóteses apontadas é inalação de fumo.

O jornal Expresso avança que pouco depois do incêndio ter começado, a primeira equipa a chegar ao local terá pedido reforços que chegaram cerca de 20 minutos depois. Sobre isso, o Comandante Operacional da Proteção Civil diz ser preciso esperar pelas conclusões do inquérito aberto pelo Ministério da Administração Interna.

Miranda do Corvo decreta três dias de luto municipal por morte de bombeiro

A Câmara de Mirando do Corvo decretou três dias de luto municipal em memória do bombeiro da corporação de voluntários da vila José Augusto Dias Fernandes.

O presidente da Câmara Municipal de Miranda do Corvo, Miguel Baptista, "decretou três dias de luto municipal em memória e reconhecimento de José Augusto Dias Fernandes, chefe dos Bombeiros Voluntários de Miranda do Corvo", informa a autarquia numa nota enviada hoje à agência Lusa.

“A EMOÇÃO NÃO ME DEIXA FALAR”

Em entrevista, o presidente da Liga dos Bombeiros emocionou-se dizendo que todos os profissionais choram “quando perdem um dos seus”.