País

Pompeo adverte Portugal contra Huawei, Lisboa garante que terá em conta a segurança nacional

RODRIGO ANTUNES / LUSA

Washington diz de que entregar a transição para a quinta geração de telecomunicações à Huawei é um “risco de segurança”.

Mike Pompeo veio hoje a Lisboa advertir Portugal contra a atribuição das redes 5G de telecomunicações à chinesa Huawei, ao que o Governo português respondeu assegurando que qualquer decisão terá em conta a segurança nacional.

O secretário de Estado norte-americano reuniu-se hoje com o ministro dos Negócios Estrangeiros português, afirmando em conferência de imprensa que aborda a questão da transição tecnológica “de forma muito consistente em todo o lado” para “proteger os interesses dos cidadãos americanos” ao garantir que “a informação só chega onde é seguro”.

“Reconhecemos a soberania de todas as nações, mas tentámos nos últimos dois anos deixar claro aos nossos aliados os riscos envolvidos”, disse Mike Pompeo.

Recuperando a mensagem deixada na quarta-feira pelo Presidente norte-americano, Donald Trump, após a cimeira da NATO, em Londres, de que entregar a transição para a quinta geração de telecomunicações à Huawei é um “risco de segurança” para os aliados, Pompeo afirmou que “não é sobre uma empresa em particular”, mas um regime, o do Partido Comunista Chinês.

Na resposta, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, assegurou que em qualquer investimento estrangeiro realizado em Portugal o Governo assegura que “a economia está subordinada ao poder político, à ordem política democrática e aos interesses de segurança nacional”.

“E assim sucederá na área crítica das telecomunicações, designadamente na evolução para a 5.ª geração”, frisou o ministro.

“Temos neste momento três grandes operadoras em Portugal, uma francesa, outra britânica e outra luso-angolana, e todas têm cumprido a legislação portuguesa e europeia em matéria de segurança nacional”, disse.

Lusa