País

Mãe do bebé encontrado no lixo fica em prisão preventiva

INEM

PJ admite que a mãe foi a única autora do crime.

A mãe do bebé encontrado no lixo foi ouvida esta sexta-feira e vai ficar em prisão preventiva na cadeia de Tires. A mulher de 22 anos, sem antecedentes criminais, está indiciada por homicídio qualificado na forma tentada.

Foi detida na madrugada desta sexta-feira em Lisboa, depois do recém-nascido que deu à luz ter sido encontrado, na terça-feira, num contentor de lixo.

Segundo a PJ, a mãe do recém-nascido agiu sozinha e nunca revelou a gravidez a ninguém, vivendo numa situação "muito precária na via pública", onde terá ocorrido o parto.

Bebé terá alta hospitalar quando houver resposta de acolhimento

O bebé foi transferido para a Maternidade Alfredo da Costa por não carecer de cuidados complexos médico-cirúrgicos da unidade de neonatologia. Encontra-se bem de saúde e assim que tiver alta hospitalar será acolhido provisoriamente por uma instituição.

O Ministério Público do Juízo de Família e Menores de Lisboa já instaurou um processo de promoção e proteção a favor da criança.

Recém-nascido salvo por sem-abrigo

Na terça-feira, as autoridades receberam pelas 17:30 o alerta para um recém-nascido encontrado num caixote do lixo na Avenida Infante D. Henrique, perto da estação fluvial, em Santa Apolónia.

O comissário da PSP André Serra explicou que foi um “cidadão sem-abrigo que ao passar no local ouviu sons no interior do caixote do lixo e ao abrir deparou com um recém-nascido sem qualquer tipo de proteção, roupa ou agasalho, simplesmente dentro do caixote como nasceu”.

O homem foi depois ajudado por uma outra pessoa que ia a passar no local e que terá contatado as autoridades.

“O recém-nascido aparentava não ter tido qualquer tipo de assistência médica e ainda [estava] com alguns vestígios hemáticos. Foram prestados os meios de socorro imediato e foi transportado para o Hospital Dona Estefânia”, avançou o comissário.

Manuel Xavier vive na rua há quatro meses. Num encontro com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, contou que ouviu o choro sofrido do bebé e resgatou-o do amontoado de plástico.

Esta sexta-feira, o Presidente da República disse que ainda não tem data prevista para visitar o bebé, mas que irá fazê-lo acompanhado da ministra da Saúde e do sem-abrigo que resgatou a criança.

Marcelo Rebelo de Sousa diz que há razões que justificam a proporção que o caso ganhou: "Tudo tocou muito no coração dos portugueses".

Cerca de 4% das crianças em risco são abandonadas à nascença

No ano passado foram abandonados 10 bebés pelos progenitores à nascença ou no primeiro semestre de vida. Cerca de 4% de um total de 254 crianças em situações de perigo.