Análise

Covid-19. “Nós, coletivamente, não nos portamos bem”

​​​​​​​José Gomes Ferreira critica a atuação dos portugueses, mas afirma que o leque de exceções apresentadas deu azo ao “anedotário”.

Depois de António Costa anunciar um agravamento das medidas restritivas para contenção da pandemia, José Gomes Ferreira, diretor-adjunto de Informação, considera que “nesta história não há inocentes”.

“Eu acho que o Governo sobrestimou a predisposição dos portugueses para aceitar uma pandemia. Porque o próprio Governo, e o primeiro-ministro em particular, disse que o país não aguentava um novo confinamento”, disse o jornalista na Edição da Noite.

Em causa está o comportamento dos portugueses durante este fim de semana, quando já estava em vigor o novo confinamento. José Gomes Ferreira considera que faltou “dramatização no discurso político”.

“O processo decisórios devia ter sido ou todo concentrado ou então eram bem explicadas as exceções acompanhadas de uma dramatização do discurso político. E não houve essa dramatização do discurso político, ou não houve o suficiente”, disse acrescentando que “a natureza do próprio conjunto de medidas que foram aprovadas tinha tantas exceções que deram azo ao anedotário nacional”.

Porém, como disse – e reforça – o jornalista: “Nesta história não há inocentes”. Também os portugueses não cumpriram as medidas e usaram as exceções para poder fazer uma vida normal, fora do confinamento.

“Nós, coletivamente, não nos portamos bem. Temos de ser críticos com o Governo, com os poderes públicos, com o Presidentes da República quando é de ser e temos de ser críticos connosco. Não houve coletivamente um comportamento de responsabilidade”, afirmou o jornalista.

Com as novas medidas, o diretor de informação da SIC Notícias espera que as pessoas percebam “que se perceba que isto é à séria”.

Conheça as novas medidas de combate à pandemia em Portugal

  • 1:55
  • O cartão amarelo que não se percebe 

    Opinião

    Despir a camisola aquando da celebração de um golo é proibido pelas leis de jogo. Penso que toda a gente sabe disso. Aliás, basta apenas que um qualquer jogador cubra a cabeça usando essa peça de equipamento para ser sancionado.

    Duarte Gomes