Opinião

Melhor que bom? A Samsung acertou nos auscultadores

Uma caixinha de boas surpresas

Lourenço Medeiros

Lourenço Medeiros

Editor de Novas Tecnologias

Eu detesto estas comparações, mas vai ter de ser. Muitos abrem a caixa e nem se preocupam em testar estes auscultadores de “oferta”, que valem a pena usar.

Desta vez haverá muitos que vão preferir estes auscultadores aos tão cobiçados Airpods Pro. Mais uma vez, a Samsung trabalha com a AKG para os seus auscultadores. No geral, o resultado tem sido muito feliz. Os auscultadores com fios, que vêm pelo menos em alguns dos telefones topo de gama, são simplesmente brilhantes.

Muitos abrem a caixa e nem se preocupam em testar estes auscultadores de “oferta”, que valem a pena usar. Já não sou tão entusiasta quanto aos auriculares "verdadeiramente sem fios” da marca. Não faltam concorrentes bem melhores e vale a pena mencionar a Sony, embora não seja a única.

Gostei especialmente do modelo anterior, os pequenos feijões (Galaxy Buds Live) como ficaram conhecidos, mais pelo design; de resto não parecem ter feito história, mas nunca tive oportunidade de fazer um teste prolongado. Este novo modelo Galaxy Buds Pro dá o salto qualitativo que faltava e que se esperava da marca.

O som é excelente e especialmente transparente no que se refere a vozes, quer cantadas quer em podcasts, um meio em franca ascendência. Tem talvez um pouco mais graves do que eu gostaria. Por regra, prefiro uma equalização mais neutra. Mas pelo que vejo, pelas críticas deste tipo de aparelhos, a maior parte das pessoas vai preferir a equalização dos Galaxy à dos AirPods Pro: é, ao que parece, o gosto da maioria. Digo isto com base na equalização “normal”, porque tem de facto seis modos de equalização predefinidos para escolher e assim agradar a muito mais gente.

Esta clareza de voz reflete-se, bilateralmente, para as conversas telefónicas. Não só se ouve bem, como tive várias conversas de máscara na cara em que os meus interlocutores nem desconfiaram que estava com auriculares. Um feito ainda mais impressionante por não terem qualquer acrescento para aproximar os microfones da nossa boca.

Têm um desenho mais clássico, talvez, mas muito bem feito. São confortáveis, ao nível dos melhores, com a vantagem de não terem a pequena extensão dos Airpods. Em circunstâncias normais os Airpod agarram-se muito bem, mas não tentem usar com capuz, sobretudo na casa de banho de um avião a 10 mil metros de altitude. Foi assim que perdi uns. Os Samsung não teriam tido esse problema de cair ao menor contacto com a roupa.

Discretos e muito eficazes

Discretos e muito eficazes

Vêm em três cores e, por uma vez, emprestaram-me uns que não eram brancos. O cancelamento de ruído funciona bem e o modo de transparência, muito importante quando queremos ouvir música sem deixar de dar atenção ao que nos rodeia, também.

Portanto, muito bom som imersivo, bom desenho, alguma escolha de cores, caixa mais pequena que grande parte da concorrência, boa bateria, mais baratos do que grande parte dos que estão no mesmo nível de funcionalidades, o que é que está menos bem? Há um aspeto que ainda não vi ninguém fazer como a Apple: ativar o modo de transparência na rua com vento.

Obviamente os microfones têm de estar ativos e o vento, qualquer vento, torna-se mais ou menos insuportável. Isto é complicado se quisermos passear o cão ou dar uma corrida em zonas de trânsito em que não podemos, em consciência, caminhar em estado de surdez voluntária. É possível fazer, uma vez que os Airpods fazem, mas que eu saiba mais nenhum. Não seja por isso. No seu nível e para quem paga estes preços, os Samsung Galaxy Buds pro são uma excelente escolha. Vêm em violeta, preto e branco e custam oficialmente 240 euros, mas há promoções que os colocam abaixo dos 200 euros.

Já que aqui estamos, uma característica rara que podemos ligar nas opções, mas que acho que vale a pena. Se falarmos, mas só se nós falarmos, o som é automaticamente reduzido a quase mudo e os microfones ficam abertos para podermos dar atenção aos nossos interlocutores. Ao fim de uns segundos voltam ao modo prévio, por exemplo, de cancelamento de ruído. É ótimo para não fazermos o gesto de retirar os auscultadores ao começar uma conversa inesperada. O único contra é se gostar de cantar para acompanhar a sua música, nesse caso terá mesmo que desligar esta opção.

Não são feitos para serem vistos, mas sim ouvidos

Não são feitos para serem vistos, mas sim ouvidos

A PÁGINA DE LOURENÇO MEDEIROS

  • O bicho homem em quatro episódios

    Opinião

    Gostava muito de partilhar o otimismo de Attenborough e de Bregman. Mas depois há episódios como o da Superliga. Ou o das vacinas concentradas no hemisfério Norte. E a esperança esvai-se. Como as superfícies geladas do Ártico no verão.

    Cristina Figueiredo