Opinião

Hoje estou demasiado feliz para ter tempo

Lourenço Medeiros

Lourenço Medeiros

Editor de Novas Tecnologias

Sim, estou a ouvir a Maria João Pires no local de trabalho. E faz muito bem à alma.

Temos que aproveitar o pouco que a pandemia nos dá para tentar, de alguma forma, contrabalançar o muito que nos tira. É natural no homem este equilíbrio, caso contrário caímos sistematicamente em depressão.

Estou neste mesmíssimo momento a ouvir o Concerto para Piano nº20 de Mozart a ser tocado pela maravilhosa Maria João Pires, sem pauta, de graça, no YouTube, a roubar o tempo que devia dedicar a este texto.

Na pequena janela ao lado do vídeo chovem em direto, corações, notas musicais e outras manifestações gráficas de agradecimento e felicidade, de todo o país e até de bem longe, do Rio de Janeiro e da Rússia, por exemplo.

Boa parte da orquestra está de máscara e há divisórias entre os músicos para não esquecermos o tempo em que vivemos, é muito estranho, mas necessário. É-nos dado pela Gulbenkian, a mesma Fundação que proporciona fantásticas listas musicais de Jazz para o confinamento no Spotify.

Não vou sequer tentar enunciar a enormíssima quantidade de iniciativas musicais, em todos os géneros, exposições virtuais e de museus, espectáculos únicos, como o que Nick Cave deu a solo e em exclusivo para a Net, enfim, de momentos e prazeres que pelas piores razões nos estão a ser proporcionados.

Dezenas de músicos brasileiros estão a fazer “lives” para combater a tristeza de não ter Carnaval. Nada disto afasta a pandemia, mas tudo isto ajuda-nos a tentar manter a cabeça à tona de água. Procurem, procurem mesmo, aquilo que pessoalmente os pode ajudar na Internet e encontrarão.

No site da Gulbenkian está o programa dos próximos concertos. Agora com licença, vou continuar a ouvir.

P.S. Parece que o concerto fica onde está

  • 2:33