Mundo

Os Verdes aprovam início de negociações para formar Governo de coligação na Alemanha

CLEMENS BILAN

Podendo assim surgir uma aliança tripartida que será uma novidade na política alemã.

O congresso do partido alemão Os Verdes aprovou este domingo o início das negociações formais com o Partido Social-Democrata (SPD) e o Partido da Liberdade (FDP) para formarem um Governo de coligação na Alemanha, adianta a Efe.

Segundo a agência de notícias espanhola, dos 99 delegados ao congresso, apenas dois votaram contra e um absteve-se, tendo vencido a maioria que defendeu o documento já aprovado em negociações entre os três partidos e que servirá de base para futuras conversações.

O líder de OS Verdes Robert Habeck, que partilha a presidência do partido com Annalena Baerbock, admitiu que tiveram de ser feitas concessões, mas que se chegou a "um bom compromisso" que permite levar por diante uma parte significativa das suas propostas programáticas, especialmente no que diz respeito à luta contra a crise climática.

"Tivemos de fazer concessões, mas os outros também tiveram de fazer. Agora temos a oportunidade de entrar no Governo e fazer propostas não só para congressos do partido", disse Habeck, citado pela Efe.

Os Verdes estão na oposição na Alemanha há 16 anos, tendo sido parceiros minoritários na coligação liderada por Gerhard Schröder entre 1998 e 2005.

A liderança do SPD já deu luz verde para iniciar as negociações e o FDP liberal deve fazê-lo na segunda-feira, podendo assim surgir uma aliança tripartida que será uma novidade na política alemã, tendo já sido manifestada a intenção de formar Governo antes do final de 2021.

A Efe refere que uma das dificuldades para chegar a um compromisso entre as três forças políticas foi conciliar os planos de investimento de Os Verdes e do SPD com a exigência do FDP de não haver aumento de impostos.

Os três partidos concordaram em definir primeiro o conteúdo do acordo e só depois passarem à distribuição de carteiras, mas a discussão sobre quem vai ocupar a pasta das Finanças já está aberta e a dúvida é ser vai para a presidente do FDP, Christina Linder, ou Robert Habeck.

Para a pasta dos Negócios Estrangeiros o principal nome apontado é o da presidente de Os Verdes Annalena Baerbock.

O único cargo que é certo é o de chanceler, que será assumido pelo social-democrata Olaf Scholz, vencedor das eleições de 26 de setembro.