Mundo

Aeroporto de La Palma inoperacional devido à acumulação de cinzas do vulcão

POOL

Na ilha de La Palma teme-se o colapso do cone do vulcão.

O aeroporto da ilha de La Palma está inoperacional por acumulação de cinzas, resultante da erupção do vulcão Cumbre Vieja, informou hoje a empresa gestora dos aeroportos e do tráfego aéreo (AENA).

Segundo a empresa, citada pela agência EFE, iniciaram-se já as tarefas de limpeza, podendo a navegação aérea ser retomada a qualquer momento.

A AENA [Aeroportos Espanhóis e Navegação Aérea] informou que os demais aeroportos das Ilhas Canárias estão operacionais, embora recomende aos viajantes que verifiquem com as suas companhias aéreas a situação de seus voos.

"A prioridade é garantir a segurança das operações", disse o responsável do aeroporto de La Palma.

Entretanto, de acordo a informação avançada à EFE, a companhia aérea das Canárias Binter, que tinha suspendido na sexta-feira voos devido ao comportamento das nuvens de cinza, retomou os seus horários com a ilha de La Gomera e com os aeroportos de Tenerife Norte e Sul, mas mantém os voos de e para La Palma encerrados.

O vulcão Cumbre Vieja entrou em erupção no domingo depois de mais de uma semana em que foram registados milhares de sismos na região.

Dezenas de casas já foram destruídas pela lava do vulcão que continua a correr em direção ao mar, mas não há vítimas depois de as autoridades terem retirado mais de 6.000 pessoas da zona da erupção.

Duas novas bocas abriramse e uniram-se numa única fissura, que emitiu "muita lava".

"Zona de catástrofe"

O governo de Madrid decidiu declarar a ilha como "zona de catástrofe".

Ao sexto dia, o Cumbre Vieja regista erupções mais explosivas e a lava continua imparável a correr para o mar. As explosões intensas no cone principal do vulcão de La Palma, assim como a chuva ácida de cinzas e poeiras, acionaram o reforço das medidas da Proteção Civil espanhola.

Outras três povoações foram evacuadas e confinadas. Há já mais de seis mil deslocados e desalojados na ilha das Canárias.

O vulcão destruiu, pelo menos, 400 casas e queimou 250 hectares de terreno. Afetou de forma irremediável a produção de banana, sustento de 10 mil famílias e que vale quase metade do PIB de La Palma.

O Governo espanhol reúne-se terça-feira para aprovar um plano de ajuda e reconstrução de La Palma. 13 milhões de euros vale o primeiro pacote de ajuda às vítimas do vulcão. Enquanto não chega ao destino, vale a solidariedade entre ilhéus. Em La Palma, há já 13 centros para recolher donativos e bens essenciais.

Imagem-símbolo destes seis dias de erupção: a Casa Milagre. Foi construída há 30 anos por um casal dinamarquês. Ausente da ilha chorou assim que soube o que aconteceu. La Casita, como foi batizada pelos proprietários, na área do vulcão, é a única estrutura edificada que escapou ao avanço da torrente de 3 metros de lava. resistiu a temperaturas de mil e cem graus do Cumbre Vieja.

  • A escola como uma gigantesca perda de tempo

    País

    Pode ser Eva. Fez um teste de Geografia e foi a única da turma a ter negativa. Dos seus olhos formosos e inexpressivos, num rosto negro como o touro do Herberto Helder, ruíram-lhe duas lágrimas. Mas daquelas que represam tanta água - tanta mágoa - que deixam cicatrizes aquosas. 43%.

    Opinião

    Rui Correia