Mundo

Impedida quando era jovem por ser negra, Martha Tucker realiza um sonho aos 94 anos

Facebook Angela J D Strozier

3 de julho de 2021, o dia em que uma mulher negra de 94 anos realizou um sonho antigo. Usou um vestido de noiva com um decote em V e mangas transparentes.

Martha Tucker, uma mulher negra, foi impedida por ser negra de experimentar e usar um vestido de noiva quando era jovem e casou, nos Estados Unidos. Aos 94 anos, realizou esse sonho e experimentou o vestido dos seus sonhos. A ideia foi de uma das netas.

Segundo o jornal The Washington Post, o seu sonho era casar com um vestido branco clássico: bordado com sobreposição de rendas e mangas compridas. Quando casou, em 1952, foi impedida de entrar numa loja de noivas por causa da sua raça, em Birmingham, Alabama, Estados Unidos. Tucker e o marido casaram-se numa cerimónia simples na sala de estar do pastor.

Na altura, não havia lojas de noivas em Birmingham que fossem propriedade de negros. As restantes não permitiam que negros experimentassem roupas.

"Há muito tempo que quero fazer isso"

Realizou o sonho no dia 3 de julho de 2021, quase 70 anos depois do dia do casamento. A ideia foi de uma das netas. Ao ver o filme "Coming to America", de 1988, Martha Tucker comentou:

"Eu sempre quis usar um vestido de noiva. Há muito tempo que quero fazer isso, desde que me casei".

Apesar de saber de histórias de racismo, a neta, Strozier, nunca tinha percebido que Tucker não tinha conseguido usar um vestido de noiva por ser negra:

"Foi um motivo terrível. Chocou-me e motivou-me a fazer isso".

Strozier não pensou duas vezes e marcou uma prova de vestido no "David's Bridal" em Hoover, Alabama. Antes da prova, marcada para as 13:30, levou a avó a almoçar e maquilhou-a. "Sentiu-se radiante", contou.

"Eu queria que ela entendesse que um sonho adiado não precisava de ser um sonho negado", disse.

Facebook Angela J D Strozier

Já na loja, Tucker apontou para um vestido num manequim e disse com entusiasmo: "Este vestido tem o meu nome". Era de renda, com um decote em V e mangas transparentes.

"O meu sonho tinha-se tornado realidade", disse.

"Eu sempre disse que, antes de deixar este mundo, iria usar um vestido de noiva"

Ao olhar para o espelho, Martha Tucker, de 94 anos, não conseguia acreditar: "Não consigo explicar como me senti".

A família, os funcionários da loja e outras noivas juntaram-se à volta, emocionados. Ao Washington Post contaram:

Facebook Angela J D Strozier

"Achei que ela parecia uma boneca. Estava a sorrir tanto e isso fez o meu coração sorrir. Foi uma experiência inestimável".

"Foi um momento lindo".

"Foi uma experiência profundamente comovente e memorável".

Ao longo da vida, além de defender o direito de as mulheres votarem, trabalhou como mulher-a-dias, deu aulas de canto, participou em vários grupos gospel. É, atualmente, o membro mais velho do coro da igreja.

O marido de Tucker morreu em 1975. Mas não é esquecido. "Gostava que ele me tivesse visto com o vestido", afirmou Tucker.

"Eu sempre disse que, antes de deixar este mundo, iria usar um vestido de noiva. Estou feliz por ter feito isso", desabafa.