Mundo

Cada ser humano pode estar a ingerir o equivalente a um cartão de crédito de plástico por semana

No Dia Internacional da Terra, mostramos exemplos de autodestruição do planeta.

Por todo o planeta não faltam exemplos de como o clima da Terra está seriamente doente. São situações reais que mostram, no terreno, o que os números e os gráficos alertam há várias décadas.

Durante minuto e meio, sem garrafa de oxigénio, Jin So-Hee, de 28 anos, procura no fundo do mar da Coreia do Sul pepinos-do-mar, algas marinhas e outras espécies para serem vendidas nos mercados locais. Ela é uma haenyeo, as "mulheres do mar", uma tradição secular de pesca que corre o risco de desaparecer pelo simples facto de não haver praticamente nada para pescar nas águas cada vez mais quentes do mar da Coreia.

Entre 1968 e 2017, a temperatura da superfície marítima subiu naquela zona 1,2 graus, em comparação com a média mundial de 0,4 graus celsius.

As águas mais quentes trouxeram novas espécies subtropicais que mudaram o habitat do fundo do mar, introduzindo mais corais rochosos e matando as florestas de algas marinhas.

Mais a sul, nas praias australianas, puxar uma panela e uma peneira para peneirar a areia ao longo da costa pode parecer uma tarefa incomum, mas para um grupo crescente de banhistas essa é a triste realidade dos dias de hoje.

São "cientistas cidadãos" em busca de microplásticos. Quase invisíveis a olho nu, representam um risco cada vez maior. Um estudo de 2019 concluiu que cada ser humano pode estar a ingerir o equivalente a um cartão de crédito de plástico por semana.

Mas, felizmente, há também histórias positivas que procuram contrariar esta tendência de autodestruição do planeta.

Depois de anos a ser criticada pela dependência de combustíveis fósseis, a Tailândia está prestes a concluir um dos maiores projetos híbridos solares hidro-flutuantes do mundo. São mais de 144 mil painéis solares que estão a ser instalados na superfície de uma barragem. O projeto deverá estar pronto em julho.

Também a China está a fazer um esforço para combater as práticas poluidoras de que é uma das principais responsáveis a nível mundial.