Mundo

Homem detido em ataque com faca a consulado francês na Arábia Saudita

Um segurança do consulado ficou ferido.

A televisão da Arábia Saudita avança com a notícia de que um homem foi detido na cidade de Jidá, Meca, depois de ter atacado com uma faca um guarda no consulado francês no país.

"O atacante foi imediatamente detido pelas forças de segurança sauditas após o ataque. O guarda foi levado para o hospital e está livre de perigo", disse em comunicado a embaixada francesa citada pela AFP.

A polícia da província de Meca, onde se situa Jidá, indicou que o atacante é saudita, mas não precisou a nacionalidade do guarda.

Nem a embaixada francesa nem as autoridades sauditas avançam com um motivo para o ataque.

Dois ataques em França

Esta manhã, dois ataques seguidos em França fizeram pelo menos três mortos.

O primeiro aconteceu em Nice.

O segundo perto de Avignon.

Tensão e revolta no mundo árabe contra caricaturas de Maomé

Atualmente nos países muçulmanos há um sentimento de revolta contra o Presidente francês, Macron que afirmou que a França não irá renunciar às caricaturas de Maomé, provocando apelos ao boicote de produtos franceses nos países árabes.

A 16 de outubro, um professor francês foi decapitado por um extremista russo de origem chechena por ter mostrado caricaturas do profeta Maomé numa aula sobre liberdade de expressão.

Esta quinta-feira os muçulmanos celebram o nascimento do profeta Maomé.

  • Marcelo Rebelo de Sousa: aprender a perder para depois ganhar o país

    Presidenciais

    Marcelo Rebelo de Sousa foi um predestinado. Nasceu e cresceu à boleia da ditadura, mas a sua luta foi pela democracia. Parecia não alimentar a vontade de alcançar altos cargos políticos e chegou mesmo a invocar o nome de Deus em vão: "Nem que Cristo desça à Terra!", dizia Marcelo. Declarou também que dez anos como Presidente da República era muito tempo. Mas ei-lo de novo a contrariar-se e a seguir o caminho que já lhe vinha a ser apontado.

    Ana Luísa Monteiro

  • Obrigado!

    Desafios da Mente

    As pessoas que sentem mais gratidão apreciam, de forma mais geral, os aspetos positivos em si e no mundo. Este fator confere um papel-chave à gratidão na determinação da saúde mental, uma vez que a depressão traz uma visão negativa sobre o próprio, o mundo e o futuro. Pelo contrário, a gratidão pode formar uma tríade positiva que compreende visões positivas sobre o próprio, o mundo e o futuro (otimismo).