Mundo

Pegadas com 120 mil anos descobertas na Arábia Saudita podem ser humanas

À esquerda o que será uma pegada humana e à direita a sua representação digital.

A confirmar-se, são o vestígio mais antigo do Homo sapiens alguma vez encontrado na região.

Centenas de pegadas com 120 mil anos foram encontradas no deserto de Nefud, na Arábia Saudita, e algumas serão humanas, informou um estudo publicado na revista científica Science Advances.

Entre as 376 pegadas reveladas, foram identificadas também algumas pertencentes a cavalos, camelos e elefantes – uma descoberta que os geólogos consideram notável, uma vez que se acredita que os elefantes desapareceram da região do Levante há 400 mil anos.

Pegadas de elefante (à esquerda) e de camelos (à direita).

Pegadas de elefante (à esquerda) e de camelos (à direita).

Mas ainda mais surpreendente terão sido sete pegadas que, a confirmarem-se humanas, são o vestígio mais antigo do Homo sapiens alguma vez encontrado na Península Arábica. Encontradas ao redor de um lago de pouca profundidade, parecem sugerir que animais e humanos visitavam aquela zona para saciar a sede.

“Percebemos de imediato o potencial desta descoberta. Pegadas são uma forma única de evidência fóssil porque registam uma espécie de fotografia de um determinado momento no tempo”, explicou um dos autores do estudo, Mathew Stewart, citado pela CNN.

Os investigadores acreditam que as pegadas remontam ao último período interglacial – uma altura que registou condições propícias, devido às temperaturas mais elevadas, para as migrações de humanos e animais na região.