Mundo

Investigadora portuguesa do MIT explica o possível sinal de vida em Vénus

Uma equipa de investigação do MIT, nos Estados Unidos, descobriu na atmosfera do Planeta Vénus uma molécula rara que só se forma se existir vida.

É uma descoberta extraordinária e tem assinatura portuguesa. Uma equipa internacional de astrónomos anunciou esta segunda-feira que foi detetada uma molécula rara - a fosfina - na atmosfera de Vénus, indicadora da existência de vida.

Há décadas que os cientistas especulam sobre a possibilidade da existência de vida nas nuvens altas de Vénus. Um ambiente que, apesar da elevada acidez, tem uns agradáveis 30ºC que poderiam oferecer um lar aos micróbios, longe da superfície escaldante do planeta. A descoberta de fosfina pode apontar para essa vida extraterrestre "aérea".

Clara Sousa Silva, cientista no MIT, deu um grande contributo para a investigação, uma vez que a fosfina é a molécula que tem estudado desde o seu doutoramento e que continuará a estudar.

A SIC falou com a investigadora portuguesa.