Mundo

Acordo de paz histórico entre Israel e Emirados Árabes Unidos

Cisjordânia

Ibraheem Abu Mustafa

Israel vai suspender planos de anexação de parte da Cisjordânia.

Israel e os Emirados Árabes Unidos (EAU) alcançaram esta quinta-feira um "acordo de paz histórico".

O anúncio foi feito pelo Presidente norte-americano, Donald Trump, na rede social Twitter.

"Um enorme avanço hoje! Acordo de paz histórico entre os nossos dois grandes amigos, Israel e os Emirados Árabes Unidos!", escreveu Trump.

Uma declaração conjunta entre Estados Unidos, Israel e EAU, assinada por Donald Trump, pelo primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu e pelo príncipe herdeiro de Abu Dhabi, Mohammed bin Zayed, refere que este acordo vai contribuir para a normalização das relações entre os dois países e para o "avanço da paz no Médio Oriente".

O texto menciona ainda que Israel vai suspender os planos de anexação de parte da Cisjordânia, mais concretamente na margem ocidental do rio Jordão, um cenário que estava previsto no plano de Trump.

O príncipe herdeiro de Abu Dhabi também reagiu através do Twitter:

"Durante uma ligação com o presidente Trump e o primeiro-ministro Netanyahu, foi alcançado um acordo para impedir a continuação da inexistência de territórios palestinos por Israel. Os Emirados Árabes Unidos e Israel também concordaram em cooperar e estabelecer um roteiro para o estabelecimento de uma relação bilateral", escreveu Mohammed bin Zayed.

O primeiro-ministro de Israel também recorreu ao Twitter para reagir. Benjamin Netanyahu fala num dia histórico para o país.

POOL New

Entre as nações árabes, apenas o Egito e Jordânia têm laços diplomáticos com Israel. A Mauritânia reconheceu Israel em 1999, mas depois cortou relações, em 2009, devido à guerra de Israel em Gaza.

O movimento islâmico palestiniano Hamas, que controla a Faixa de Gaza, rejeitou o acordo, alegando que "não serve à causa palestiniana de forma alguma".

"Isso encoraja a ocupação (israelita) a continuar, negando os direitos do povo palestiniano e aumentando as agressões contra nós", afirmou o porta-voz do Hamas, Hazem Qassem.

O Hamas governa a Faixa de Gaza.

"Abre uma série de oportunidades a Israel, no mundo árabe, para novas alianças em todos os campos"

A análise de Henrique Cymerman, correspondente da SIC no Médio Oriente, ao acordo de paz histórico entre Israel e Emirados Árabes Unidos.