Mundo

Viajar de avião para Roma ou Nova Iorque sem nunca sair do Japão

Kim Kyung Hoon

Uma experiência imersiva que tem gerado muita procura.

As tecnologias imersivas podem levar-nos até onde nós quisermos. Nesta experiência, os passageiros usufruem da experiência de andar de avião, sem nunca sair de terra, com direito a ver o avião descolar e aterrar. Depois, colocam os óculos que os levam até ao Coliseu de Roma ou à Fontana Di Trevi.

Katsuo Inoue escolheu Itália como destino de férias de verão e visitou Florença e Roma, sem nunca sequer ter saído do Japão. Acompanhado da mulher, o empresário japonês "voou" com a empresa de entretenimento Tokyo First Airlines, que está a explorar o mercado de viagens de realidade virtual para turistas japoneses que não podem viajar devido às restrições da Covid-19.

Os viajantes, que apesar de estarem em terra usufruem de toda a experiência de um voo normal, sentam-se numa cabine de avião simulada, onde são servidas refeições e bebidas a bordo e até é feita uma demonstração de segurança com coletes salva-vidas e máscaras de oxigénio.

Através das "janelas" - que neste caso são páineis - conseguem ver o avião a descolar e a passar entre as nuvens.

Assista à experiência neste vídeo.

A partir do momento em que colocam os óculos de realidade virtual, os passageiros entram numa viagem imersiva e como destinos disponíveis têm não só cidades italianas, mas também Paris, Nova Iorque e Havai.

"Costumo viajar em trabalho, mas nunca fui a Itália", disse Katsuo Inoue à Reuters. "A minha impressão foi muito boa porque tive realmente a sensação de estar a ver as coisas lá."

O coronavírus fez com que a maioria das viagens do Japão fossem suspensas ou canceladas. Segundo a maior companhia aérea do país, o número de voos para destinos estrangeiros caiu 96% em junho.

No sentido contrário, a First Airlines tem registado um aumento da procura de 50% desde o início da pandemia.