Mundo

Eleições na Bielorrússia. Candidata da oposição pede a Lukashenko que ceda o poder

Svetlana Tikhanouskaya

Vasily Fedosenko

Grande rival de Lukashenko, a opositora Svetlana Tikhanovskaia, obteve 9,9% dos votos, de acordo com os primeiros resultados oficiais

A candidata da oposição na Bielorrússia, Svetlana Tikhanovskaia, rejeitou os resultados oficiais das presidenciais de domingo e pediu ao Presidente, Alexander Lukashenko, considerado o vencedor, que ceda os comandos do país.

"O poder deve refletir como pode ceder-nos o poder. Considero-me vencedora das eleições", disse esta segunda-feira a candidata à imprensa, denunciando a repressão das manifestações de domingo à noite contra a reeleição do Presidente.

Lukashenko conquista sexto mandato com 80,23% dos votos

POOL New

O Presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, venceu as eleições presidenciais com 80,23% dos votos, anunciou esta segunda-feira a agência de notícias estatal Belta, no dia seguinte ao escrutínio marcado por violência e acusações de fraude.

A grande rival de Lukashenko, a opositora Svetlana Tikhanovskaia, obteve 9,9% dos votos, de acordo com os primeiros resultados oficiais da Comissão Eleitoral bielorrussa.

No domingo, as presidenciais ficaram marcadas por várias manifestações em diferentes cidades e na capital, Minsk, em protesto contra a vitória anunciada de Lukashenko, de 65 anos, para um sexto mandato presidencial consecutivo.

Pelo menos um morto e dezenas de feridos nos protestos na Bielorrússia

Pelo menos uma pessoa morreu e dezenas ficaram feridas nos protestos na Bielorrússia contra o resultado das eleições presidenciais, que deu a vitória a Lukashenko com mais de 80% dos votos.

Milhares de pessoas saíram à rua para contestar a reeleição de Alexander Lukashenko pela sexta vez consecutiva.

Presidente do Conselho Europeu lamenta violência contra manifestantes na Bielorrússia

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, deplorou esta segunda-feira a violência contra os manifestantes que contestam os resultados das eleições presidenciais de domingo na Bielorrússia, sublinhando que a liberdade de expressão deve ser defendida.

Vasily Fedosenko

"Violência contra manifestantes não é a resposta #Bielorrússia. A liberdade de expressão, a liberdade de reunião e os direitos humanos básicos devem ser defendidos", escreveu o presidente do Conselho Europeu, numa mensagem publicada hoje de manhã na sua conta oficial na rede social Twitter.