Mundo

Recluso morre às mãos de guardas depois de alertar que não conseguia respirar

Imagens do momento foram agora reveladas.

A CNN divulgou este sábado um vídeo que mostra um recluso afro-americano da prisão de Forsyth, no Estado da Geórgia, a afirmar que não consegue respirar, enquanto é controlado por cinco polícias e por uma enfermeira.

"Não consigo respirar", afirmou, repetidamente, John Eliot Neville, de 56 anos, na gravação, feita em dezembro.

As imagens

O afro-americano foi assistido por cinco polícias e por uma enfermeira, após cair do seu beliche.

Nas gravações, Neville aparece desorientado e com dificuldades respiratórias, enquanto os funcionários pedem que este se deite, mantendo-o na cela.

"Deixem-me ir. Ajudem-me", pediu John Eliot Neville.

Por sua vez, os funcionários da cadeia apelavam a que o recluso mantivesse a calma. Porém, o afro-americano acabou por tentar fugir, tendo, em seguida, ficado inconsciente.

Neville acabou por morrer já num hospital local.

Funcionários e enfermeira acusados

De acordo com a agência EFE, os funcionários e a enfermeira foram acusados de homicídio involuntário e acabaram por ser despedidos.

John Eliot Neville estava detido numa prisão em Forsyth, por agredir uma mulher. A CNN explicou que as imagens foram agora divulgadas, após ordem de um juiz da Carolina do Norte.

A semelhança à morte de George Floyd

"Não consigo respirar" foi a mesma frase que o também afro-americano George Floyd proferiu, no final de maio, em Minneapolis, antes de morrer sufocado, na sequência de uma detenção.

A morte de Floyd desencadeou uma onde de protestos, sobretudo, em várias cidades dos Estados Unidos, que duraram várias semanas.

Veja também:

  • 34:18