Mundo

Corpos doados à ciência comidos por ratos em Universidade de Paris

Google maps

Autoridades francesas abrem processo após queixa de familiares e investigação de revista francesa.

A denúncia foi feita em novembro passado pela revista francesa L'Express: "Doação de corpos à ciência: uma vala comum no coração de Paris".

"Nus. Desmembrados. Olhos abertos. Empilhados em macas. Corpos às dúzias, no meio de uma confusão indescritível. Aqui, um braço pendurado, quebrado. Acolá, um outro danificado, enegrecido, perfurado após ser mordido por ratos. O membro superior de um está em cima do estômago do outro. Os sacos de lixo transbordam com pedaços de carne. Em primeiro plano, uma cabeça no chão. São fotos insuportáveis ​​que revelam uma vala comum. No coração de Paris. Datam do final de 2016 e foram tiradas na rue des Saints-Pères, no 5º andar das instalações da faculdade René-Descartes, o templo da medicina na França. Por respeito aos falecidos e suas famílias, a L'Express decidiu não as publicar".

Esta foi a descrição feita em novembro de 2019 pela revista. São os corpos de milhares de pessoas que os doaram à ciência descobertos em condições repugnantes no Centro de Doações de Corpos (CDC) da Universidade Paris-Descartes.

O centro universitário foi fechado e ordenada uma inspeção administrativa que, em junho, declarou que a universidade era culpada de "violações éticas graves" na administração do CDC.

Entretanto, foram apresentadas 72 queixas à Justiça pelas famílias dos "doadores".

A procuradoria de Paris anunciou esta quinta-feira, 9 de julho, que vai abrir uma investigação sobre "violações da integridade de um cadáver", dossiê entregue por uma equipa que iniciou o processo de investigação.

Os familiares dos "doadores" criaram, no início de junho, uma associação chamada "Vala comum Descartes, justiça e dignidade".

"A abertura dessas investigações judiciais é uma vitória", disse o vice-presidente da associação Laurence Dezélée ao jornal Le Monde. "Isso significa que este caso resultará em julgamento e que os responsáveis ​​serão julgados. Este caso tem de servir para enquadrar melhor a legislação sobre doação de corpos".

O Centro de Doação de Corpos (CDC) em Paris é o maior centro anatómico da França, criado em 1953 e anexado à Universidade Paris-Descartes (que se chama agora Universidade de Paris, desde a fusão, em janeiro, com a Paris-Diderot).