Mundo

Jean Castex nomeado primeiro-ministro francês

Primeiro-ministro francês Jean Castex

Gonzalo Fuentes / Reuters

Macron escolheu autarca de direita, responsável pela política de desconfinamento em França.

Jean Castex foi nomeado primeiro-ministro de França pelo Presidente Emmanuel Macron, segundo o comunicado publicado no site do Palácio do Eliseu.

No início de abril o alto funcionário e autarca tinha sido o escolhido pelo primeiro-ministro demissionário Edouard Philippe para organizar o desconfinamento.

Ex-colaborador de Nicolas Sarkozy, Jean Castex tem 55 anos, é presidente da Câmara da pequena cidade de Prades, no sudoeste de França, pelo partido LR (Les Républicains - direita).

Edouard Philippe apresentou esta manhã a demissão do seu Governo ao Presidente Emmanuel Macron, que aceitou.

"Senhor Desconfinamento"

Nomeado no início de abril por Edouard Philippe como delegado interministerial para organizar o fim do confinamento em França por causa da pandemia de Covid-19, ficou conhecido como "Senhor Desconfinamento".

Desde setembro de 2017, era delegado interministerial dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2024 em Paris.

É conselheiro regional do partido LR para os Pirinéus Orientais desde 2015 e presidente da Câmara de Prades desde 2008, uma pequena cidade de 6.000 habitantes localizada perto de Perpignan.

Entre 2011 e 2012, foi secretário-geral do Palácio do Eliseu na Presidência de Nicolas Sarkozy.

Mudança desejada por Macron

Esta remodelação governamental era uma mudança desejada por Macron que prometeu uma nova equipa para seguir "um novo caminho" político na última fase do seu mandato até às Presidenciais de 2022.

"Tenho de fazer escolhas para seguir um novo caminho. São novos objetivos de independência, reconstrução, reconciliação e novos métodos a colocar em marcha". Para os prosseguir "haverá uma nova equipa", afirmou o Presidente numa entrevista a jornais regionais publicada esta sexta-feira.

Esta alteração de Governo era esperada após a segunda volta das eleições autárquicas de 28 de junho, marcada por uma elevada abstenção, um revés para o partido do Presidente e uma subida do partido ecologista nos centros urbanos.

França é um dos países mais atingidos pela pandemia

A França contabiliza 29.875 mortos e 166.378 casos de covid-19.

Do total de mortes, 19.378 foram registadas nos hospitais e as restantes em lares de idosos, número que o Governo francês só atualiza uma vez por semana e que, comparado com a última contabilização, significa uma queda no número de óbitos nos centros geriátricos nas últimas semanas.

A Guiana francesa continua a ser a região de maior preocupação para as autoridades francesas, com cerca de 4.000 casos confirmados nessa região ultramarina que faz fronteira com o Brasil.