Mundo

Devíamos poder fazer uma sesta no trabalho? 

Jason Lee

Há quem defenda que uma soneca pode aumentar a produtividade.

Se para muitos, dormir no trabalho pode ser sinónimo de preguiça ou doença, outros há que consideram que a sesta pode aumentar a produtividade. Várias experiências pelo mundo tem provado que há benefícios. Mas nem todos olham para a questão da mesma maneira. Depende da perspetiva, ou seja, se é empregado ou empregador.

Exemplo americano

No início do mês, os serviços centrais dos EUA emitiram um comunicado a proibir sestas durante o expediente.

"Todas as pessoas são proibidas de dormir em edifícios federais, exceto quando a atividade é autorizada por um superior” pode ler-se no documento citado pela BBC.

De acordo com o site britânico, os serviços norte-americanos recusam-se a falar sobre o assunto, logo não é claro o que terá motivado esta diretiva. Não é, no entanto, a primeira vez que acontece.

Wilbur Ross, secretário do Comércio, durante o discurso de Trump na Assembleia Geral das Nações Unidas.

Wilbur Ross, secretário do Comércio, durante o discurso de Trump na Assembleia Geral das Nações Unidas.

Funcionária apanhada a dormir no local de trabalho

Em 2018, um gabinete público de auditoria na Califórnia tornou público um relatório sobre uma trabalhadora, que dormia até três horas por dia, no local de trabalho.

O relatório estimou que o impacto das sestas, que eram encobertas pelos colegas. Custaram ao estado da Califórnia 36 mil dólares em quatro anos.

O relatório revela ainda que, em vez de chamá-la a atenção, o superior mostrou-se preocupado com o eventual problema de saúde que estaria na origem da sonolência da funcionária.

Dormir mal

Lawrence Epstein, ex-presidente da Academia Americana de Medicina do Sono e Diretor Medico de Clínica Médica do Sono em Brigham, disse à BBC que cerca de 70 milhões de americanos sofrem de um distúrbio do sono.

"Algumas empresas estão a consciencializar-se de que isto é um problema e estão à procura de formas de o resolver. Infelizmente, não considero que os departamentos públicos (norte-americanos) estejam muito avançados nesta matéria”.

A falta de sono tem sido associada a vários problemas de saúde, como a obesidade, diabetes, doenças cardíacas, além de problemas de saúde mental, como ansiedade e depressão.

Em 2016, um estudo da Rand Corporation calculou o impacto das perturbações do sono dos trabalhadores do setor privado na economia norte-americana. O custo apurado foi de 371,3 mil milhões de euros por ano.

Este especialista norte-americano acredita nos benefícios da sesta no trabalho. "As pessoas que são privadas de sono correm mais risco de sofrer acidentes de trabalho e acabam a custar mais às empresas porque têm mais problemas de saúde", diz Epstein.

Stringer China

Empresas amigas da sesta

No Japão, há empresas a instalar equipamento à prova de som, nos gabinetes, para incentivar os trabalhadores, que passam horas a trabalhar, a descansar.

Na Ben & Jerry's, nos EUA, existe um quarto, com cerca de 10 m2 onde os funcionários podem dormir até 20 minutos, por dia.

Chamam-lhe o "quarto Da Vinci". Tem um sofá-cama e um cobertor fino. Os que precisam dormir mais, são mandados para casa.

Ainda assim, explica à BBC a porta-voz da Ben & Jerry's, Laura Peterson, o estigma associado às sestas são um problema.

Nem sempre quem recorre ao cochilo admite e prova disso é a folha de inscrição, disponibilizada pela empresa aos funcionários. “Inscrevem-se com nomes falsos, como "Pato Donald".

Quarto Da Vinci, da Ben and Jerry's

Quarto Da Vinci, da Ben and Jerry's

Negócio da sesta

No centro de Toronto, Canadá, existe um espaço onde por pouco mais de 6 euros é possível dormir 25 minutos.

A “Nap It Up” disponibiliza ainda cobertores, adesivos anti ronco, máscara para os olhos, cobertores, etc.

As camas estão separadas por cortinas grossas, para dar privacidade e o quarto é perfumado com lavanda.

"Quartos" da "Nap It Up" onde é possível fazer sestas de 20 minutos por pouco mais de 6€

"Quartos" da "Nap It Up" onde é possível fazer sestas de 20 minutos por pouco mais de 6€