Mundo

Super tufão ainda nem chegou ao Japão e já está a provocar estragos

DIEGO AZUBEL

Tempestade pode vir a ser a maior do ano no arquipélago e já cancelou dois jogos grandes do Mundial de Râguebi e mantém em suspenso o GP do Japão de F1.

Jae C. Hong

Tempestade pode vir a ser a maior do ano no arquipélago e mantém em suspenso GP de F1 e já cancelou dois jogos grandes do Mundial de Râguebi

Atualmente classificado como um tufão "violento", no topo da escala de intensidade ciclónica no Japão, o Hagibis está a dirigir-se para o sudeste do país e poderá atingir a área de Tóquio no sábado, alertaram os meteorologistas japoneses.

De acordo a Agência Meteorológica Japonesa (JMA), o poder atual de Hagibis é semelhante ao de quatro dos maiores tufões que o Japão viu nas últimas décadas, incluindo o Faxai no mês passado, que provocou danos significativos em Chiba, nos subúrbios de Tóquio.

KIMIMASA MAYAMA

Mundial de Râguebi cancela 2 jogos, mantém outros 2 e deixa em suspenso competição

A organização do Mundial de Râguebi anunciou hoje o cancelamento de dois jogos devido ao tufão que deve atingir o Japão este fim de semana.

Os jogos Inglaterra - França e Nova Zelândia - Itália, agendados para sábado em Yokohama e Toyota, foram cancelado devido à aproximação do tufão Hagibis.

Outros dois entre a Irlanda-Samoa e a Austrália-Georgia são para manter, para já, e em suspenso fica ainda o jogo entre a Escócia e o Japão, a seleção anfitriã diz que haverá novo ponto da situação na manhã de domingo, para aferir os estragos provocados pelo tufão e se há condições para se manter a partida.

A seleção escocesa já exigiu um plano de contingência á organização do Mundial.

GP do Japão no Circuito de Suzuka é uma das mais antigas e icónicas provas do Mundial de F1.

GP do Japão no Circuito de Suzuka é uma das mais antigas e icónicas provas do Mundial de F1.

Toru Takahashi

Decisão adiada no GP de Fórmula 1

O tufão deve atingir a costa da ilha japonesa da ilha de Honshu este sábado. A maior das ilhas do arquipélago alberga as maiores e mais importantes cidades japonesas como Tóquio, Yokohama, Osaka ou Quioto e Suzuka, onde decorre, este domingo, o Grande Prémio de Fórmula 1 do Japão.

A prova ainda não foi suspensa, mas a organização já veio garantir que tudo está a ser feito para minimizar as consequências no evento.

"Todavia a prioridade continua a ser proteger os fãs, os pilotos, os concorrentes e o circuito de Suzuka", afirmou um dos responsáveis pelo Grande Prémio do Japão.

As autoridades garantem que estão a monitorizar o tufão "e os potenciais impactos" numa das mais antigas e icónicas provas do Mundial de F1.

NASA GODDARD MODIS RAPID RESPONSE / HANDOUT

O que aí vem?

Para sábado, "espera-se velocidades de vento de 45 metros por segundo" ou 162 quilómetros por hora, disse um responsável da agência numa conferência de imprensa esta quarta-feira."O tufão causará fortes chuvas em grande parte do país.

Os ventos fortes soprarão primeiro, seguidos por chuvas torrenciais", declarou, acrescentando que nas zonas costeiras são esperadas ondas violentas.Outro evento que reúne dezenas de milhares de espetadores é o Grande Prémio de Fórmula 1 de Suzuka (Japão central), que também pode ser ameaçado, a decorrer no domingo.

"Pedimos aos residentes que procedam a saídas voluntárias antecipadas e sigam as instruções de retirada emitidas pelas autoridades locais", insistiu o responsável da Agência Meteorológica do Japão.

Segundo as previsões, o tufão deverá tomar a direção do mar, mas sempre irá gerar mau tempo e problemas nos transportes.