Mundo

6 turistas mortos, mais de 100 feridos e pelo menos um desaparecido na Grécia

Alkis Konstantinidis, Reuters

Região norte de Calcídica acordou hoje para os estragos da tempestade que trouxe muito vento, chuva e até granizo ao norte da Grécia. Observatório Nacional da Grécia registou mais de 5.000 relâmpagos na noite de quarta-feira.

"Em cinco minutos passámos pelo inferno"

O furacão durou cerca de 20 minutos e começou por volta das das 22h00, hora local (21 em Lisboa) segundo várias testemunhas entrevistadas pela televisão pública grega ERT.

"Foi um fenómeno sem precedentes (..) ventos muito fortes e tempestades de granizo. É um milagre que não haja mais mortes!", afirmou Kyriakos Athanasiadis, um turista de 39 anos que passava férias na zona.

Entre os feridos há pelo menos 5 crianças, incluindo uma adolescente sérvia de 13 anos.

"Quase todos os restaurantes à beira-mar estavam cheios e podiam-se ver muitas coisas enormes a voarem por aí. Foi terrível!", confessou o grego a Nea Triglia.

Ao hospital chegou uma mulher que garante ter sido levantada pelo vento e jogada contra um caixote do lixo.

A polícia confirma que a queda de uma árvore matou um turista russo e o filho de 2 anos, junto a um hotel na estância balnear de Kassandra.

VERVERIDIS VASSILIS

"Como uma caixa de fósforos"

É a imagem que marca esta tempestade pelo norte da Grécia: uma caravana esventrada, largada na praia pelos ventos fortes na aldeia de Sozopoli, outra popular estância à beira-mar do norte da Grécia.

"O vento levantou a caravana como se fosse uma caixa de fósforos", afirmou Giannis Karabourniotis, dono de uma pequena peixaria a poucos metros de distância.

Os donos da caravana - um casal de 70 anos - morreram enquanto o filho de 48 anos e o neto de 19 anos de idade ficaram feridos.

"É indescritível, todos estes estragos ocorreram em cinco minutos" acrescentou Giannis Karabourniotis à agência AFP, "junto à minha loja existiam mais de 50 pinheiros, a maioria dos quais foram arrancados ou derrubados. Inacreditável!"

O Observatório Nacional da Grécia registou mais de 5.000 relâmpagos na noite de quarta-feira em todo o país.

Declarado estado de emergência na região de Calcídica

Segundo o ministro da proteção do Cidadão, Mijalis Jrisojoidis, todos os mortos registados são de turistas que estavam de férias no país.

O anterior balanço apontava para cinco mortos, entre os quais uma criança.

Duas das vítimas são de nacionalidade russa, duas são checas e duas são romenas.Vários feridos foram transferidos para hospitais próximos.

A queda de uma árvore causou a morte de um homem, de nacionalidade russa, e do seu filho de dois anos num hotel na estância balnear de Cassandra, a cerca de 70 quilómetros de Salonica, a segunda maior cidade da Grécia.

Um pescador desaparecido

A polícia portuária grega confirma que há, pelo menos um pescador desaparecido. Nas operações de resgate estão envolvidos pelo menos 140 bombeiros.

"Quero expressar minha tristeza em nome de todos, lamentamos a perda de vidas", disse o ministro de Proteção ao Cidadão Michalis Chrisochoidis, que supervisiona as operações de socorro no local.

O Primeiro-ministro grego Kyriakos Mitsotakis, eleitos nas eleições parlamentares do passado domingo, cancelou todos os compromissos previstos para esta quinta-feira para lidar com o desastre, confirmou o gabinete Chefe do Governo de Atenas.

Grande parte da região está sem eletricidade e os militares foram chamados a ajudar a restaurar a energia na região.

O tornado acontece após dois dias de calor intenso, com as temperaturas a baterem os 37.ºC.