Mundo

Presidente do Brasil diz que manifestantes contra cortes na educação são "idiotas úteis"

Adriano Machado

Milhares de alunos e professores têm protestado contra os cortes na educação.

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, disse esta quarta-feira que os manifestantes que estão nas ruas do país a protestar contra cortes de verbas anunciados na área da Educação são militantes e "idiotas úteis".

"A maioria ali é militante. É militante. Não tem nada na cabeça. Se perguntar 7 x 8 não sabe. Se perguntar a fórmula da água, não sabe. Não sabe nada", afirmou o chefe de Estado brasileiro após desembarcar no Texas, nos Estados Unidos, onde será homenageado.

"São uns idiotas úteis, uns imbecis que estão sendo utilizados como massa de manobra de uma minoria espertalhona que compõe o núcleo de muitas universidades federais do Brasil", acrescentou.

Nesta quarta-feira, dezenas de manifestações contra o bloqueio de recursos federais para a Educação anunciado pelo Ministério da Educação (MEC) foram convocados em todos os estados do Brasil.

Alunos e professores, que estudam e trabalham em universidades e escolas públicas e privadas, aderiram às paralisações convocadas por entidades ligadas a sindicatos, movimentos sociais e movimentos estudantis e partidos políticos estão a participar nos atos.

Rodolfo Buhrer

Em abril, o MEC informou que faria um congelamento de 30% das verbas das instituições de ensino mas, depois, explicou que o bloqueio de verbas seria de 24,84% das chamadas despesas discricionárias, usadas para custear o pagamento das contas de água e luz, por exemplo.

Nas universidades federais o corte, segundo o MEC, soma 1,7 mil milhões de reais (380 milhões de reais), ou 3,43% do orçamento.

Lusa

  • Um minuto de campanha
    1:02