Prémio Intermarché Produção Nacional

Carne de Cachena: do Tibete Português para o Intermarché

Para a PEC Nordeste, o balanço do Prémio Intermarché Produção Nacional é muito positivo, pela visibilidade que trouxe à carne de Cachena DOP e pelos negócios que alavancou.

Foi no cimo das montanhas da zona do Sistelo (conhecida pelo “Tibete Português”), em pleno Parque Nacional da Peneda-Gêres, que encontrámos os bovinos da raça Cachena da Peneda (DOP), popularmente designada por Cabreira, Carramelha ou Vilarinha.

Uma das entidades que se encontra a dinamizar a produção nacional desta raça autóctone é a PEC Nordeste (empresa do Grupo AGROS que opera há mais de 20 anos no apoio à produção pecuária nacional, na criação, abate, desmancha e comercialização de animais), em parceria com a Cooperativa Agrícola de Arcos de Valdevez e Ponte da Barca (a detentora da denominação de origem protegida da Cachena da Peneda). O ano passado, candidatou-se ao Prémio Intermarché Produção Nacional na categoria Produção Primária com este produto e ganhou. O prémio (o escoamento dos produtos vencedores durante um ano no Intermarché e a sua promoção em diversos meios de comunicação), diz Idalino Leão, da PEC Nordeste, está a ser “muito positivo pela visibilidade que tem trazido a este produto premium, à empresa e aos produtores, e pelos negócios que alavancou, pois conseguimos ganhar mais quota de mercado”.

A produção destes animais de porte pequeno (a altura ao garrote não ultrapassa os 1,15 metros), mas robustos, de cornos compridos e pelagem castanha, baseia-se em métodos ancestrais que conferem à sua carne características entre as quais se destacam o sabor, a suculência e a tenrura. Além disso, contribui para o equilíbrio e limpeza da floresta e ajuda na manutenção da fauna e da flora autóctones.

As perspetivas para o futuro, na opinião de Idalino Leão, são boas. “Este negócio da pecuária é sempre difícil, mas eu diria que nesta lógica de preocupação ambiental e com a sustentabilidade dos territórios e pela importância que tem na fixação da população, nomeadamente no que respeita aos produtores de raças autóctones, há aqui um excelente oportunidade para se diferenciarem e fazerem valer os seus produtos de excelência, como é o caso da carne de Cachena DOP”.