Web Summit

Costa espera que Web Summit seja ponto de partida para mundo pós-pandémico

ANTÓNIO PEDRO SANTOS

"O mundo pós-pandémico será diferente. E cabe-nos assegurar que será melhor"

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou esperar que a Web Summit, que começou esta quarta-feira em formato digital, seja o ponto de partida para a construção de um futuro melhor no pós-pandemia, exortando à partilha de conhecimentos e experiências.

Numa mensagem pré-gravada e divulgada na abertura daquela cimeira, que decorre até sexta-feira, António Costa enalteceu o valor da "partilha de conhecimento e de experiências" para que, coletivamente, a sociedade possa enfrentar os desafios atuais e do futuro, em particular no pós-pandemia.

"O mundo pós-pandémico será diferente. E cabe-nos assegurar que será melhor", disse Costa, manifestando a expectativa de que a Web Summit possa ser "o ponto de partida para um futuro melhor".

O primeiro-ministro considerou que o "ano de 2020 é um ano de pandemia, mas é também o ano em que Portugal entra na `liga dos campeões´ da inovação".

"O ano em que, mesmo antes do início da pandemia, Portugal lançou o plano de ação para a transição digital visando a capacitação digital das pessoas, empresas e organismos do Estado", sublinhou.

O ano de 2020 é, frisou, o ano em que o país escolheu a aposta na "inovação e digitalização", que procura equilibrar "economia e necessidades sociais".

Ainda de acordo com o primeiro-ministro, "2020 é o ano em que Portugal registou 14% de aumento no número de estudante nas áreas de investigação e tecnologia".

Os próximos três dias, disse, serão uma oportunidade para reunir investidores, criativos, líderes de governos, empresários e pessoas de "espírito aberto" para "discutir e criar soluções e novas abordagens" para o futuro.

Web Summit 2020 acontece exclusivamente online

A Web Summit, considerada uma das maiores cimeiras tecnológicas do mundo, realiza-se este ano totalmente 'online' com "um público estimado de 100 mil" pessoas.

Para o cofundador do evento, o irlandês Paddy Cosgrave, o próximo grande desafio será trazer "100.000 pessoas a Lisboa", o que só acontecerá "em 2022 ou 2023".

Relativamente à polémica do pagamento de 11 milhões de euros (oito milhões pelo Governo e três milhões de euros pela câmara de Lisboa) por uma edição que é 'online', Paddy Cosgrave disse tratar-se de um assunto político, em que não se quer envolver.

A cimeira tecnológica teve início hoje e decorre até 04 de dezembro.

Estão inscritos "mais de 2.500 jornalistas", segundo Cosgrave.

Após duas edições realizadas em Lisboa (2016 e 2017), a Web Summit e o Governo Português anunciaram, em Outubro de 2018, uma parceria a 10 anos que permite manter a conferência na capital portuguesa até 2028.