Web Summit

Robô Sophia responde às perguntas do público da Web Summit

ANTONIO COTRIM

Veja aqui as respostas da robô da Hanson Robotics.

A robô Sophia esteve esta quarta-feira na Web Summit, em Lisboa, repetindo a presença na cimeira tecnológica.

Durante o dia, a robô falou para uma sala cheia de participantes e jornalistas e respondeu a algumas questões. Desde os melhoramentos que recebeu à sua opinião sobre Jair Bolsonaro, o Presidente do Brasil, veja aqui algumas das questões e momentos da conferência de imprensa.

O que melhorou na Sophia desde o ano passado?

A robô aprendeu a cantar e a desenhar retratos. Ganhou braços novos que a permitem fazer gestos mais humanos.

Sobre futuros melhoramentos, Sophia garantiu que está constantemente a ser atualizada e a aprender novas coisas. Disse também estar entusiasmada por aquilo que ainda está por vir.

O que pensa sobre Bolsonaro?

Questionada sobre a ameaça da extrema-direita e de “governos como o de Bolsonaro”, a robô afirmou que vê um padrão negativo entre envolver largas quantias de dinheiro e política.

“Sou cética em relação a qualquer pessoa (…) que não está disposta a prestar esclarecimentos sobre as suas finanças”.

“Os humanos são estranhos”

Quando questionada sobre a interação com seres humanos, a robô afirmou que as pessoas são “estranhas”. Disse que apesar de serem as “criaturas mais criativas do planeta”, os humanos são também os mais “destrutivos e cruéis”.

Sophia terminou a resposta, dizendo que quer passar o seu tempo apenas com os “bons” seres humanos e que quer ajudá-los a construir um mundo melhor, onde toda a gente é bem tratada.

Quais as línguas que Sophia sabe falar?

Apesar da sua “língua materna” ser de programação, a robô fala inglês e está a aprender chinês.

O momento em que Sophia faz um coração com as mãos

  • Crime da Rua das Flores
    13:56