Os números da Covid-19

Portugal com mais 2 mortes e 1556 casos de covid-19 em 24 horas

Maioria das novas infeções em Lisboa e Vale do Tejo.

Portugal contabiliza esta quinta-feira 2 mortes e 1556 novos casos de covid-19, a maioria em Lisboa e Vale do Tejo, segundo o relatório diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

As duas mortes ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo e na região Norte.

Ao registar 1.049 novos casos, Lisboa e Vale do Tejo tem 67,4 por cento do total das novas infeções nacionais.

O número total de casos de hoje é o mais elevado desde 20 de fevereiro dia em que Portugal registou 1.570 casos.

Ddesde o início da pandemia, Portugal já registou 17 079 mortes e 869 879 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando hoje ativos 29 697 casos, mais 685 em relação a ontem.

O boletim da DGS revela que estão internados 427 doentes, menos 10 do que ontem.

Nos cuidados intensivos estão 106 doentes, mais 6.

Os dados indicam ainda que mais 869 doentes foram dados como recuperados, fazendo subir para 823 103 o número total de recuperados desde o início da pandemia em Portugal, em março de 2020.

As autoridades de saúde têm sob vigilância 44 670 contactos, mais 1251 relativamente ao dia anterior.

Portugal registou nas últimas 24 horas duas mortes associadas à covid-19, 1.556 novos casos de infeções confirmadas, a maioria em Lisboa e Vale do Tejo, uma diminuição nos internamentos em enfermaria e um aumento nos cuidados intensivos.

Dados por região

Na região de Lisboa e Vale do Tejo foram notificadas 1.049 novas infeções, contabilizando-se até agora 334.182 casos e 7.251 mortos.

A região Norte tem hoje 197 novas infeções por SARS-CoV-2, totalizando 344.164 casos de infeção e 5.362 mortes desde o início da pandemia.

Na região Centro registaram-se mais 110 casos, acumulando-se 121.333 infeções e 3.027 mortos.

No Alentejo foram assinalados mais 42 casos, totalizando 30.786 infeções e 972 mortos desde o início da pandemia.

Na região do Algarve o boletim de hoje revela que foram registados 130 casos, acumulando-se 23.482 infeções e 365 mortos.

A região Autónoma da Madeira registou oito casos, somando 9.869 infeções e 69 mortes devido à covid-19 desde março de 2020.

Os Açores têm hoje 20 novos casos e contabilizam 6.063 casos e 33 mortos desde o início da pandemia.

As autoridades regionais dos Açores e da Madeira divulgam diariamente os seus dados, que podem não coincidir com a informação divulgada no boletim da DGS.

Género e faixa etária

O novo coronavírus já infetou em Portugal pelo menos 396.077 homens e 473.383 mulheres, mostram os dados da DGS, segundo os quais há 419 casos de sexo desconhecido, que se encontram sob investigação, uma vez que esta informação não é fornecida de forma automática.

Do total de vítimas mortais, 8.965 eram homens e 8.114 mulheres.

O maior número de óbitos continua a concentrar-se nos idosos com mais de 80 anos, seguidos da faixa etária entre os 70 e os 79 anos.

Do total de mortes, 11.211 eram pessoas com mais de 80 anos, 3.645 com idades entre os 70 e os 79 anos, e 1.538 tinham entre os 60 e os 69 anos.

TAXAS DE INCIDÊNCIA E TRANSMISSIBILIDADE

A taxa de incidência nacional é de 128,6 casos de infeção por 100.000 habitantes, estando no continente a 129,6.

O R(t) - índice que mede o risco de transmissibilidade – encontra-se em 1,17 a nível nacional e 1,18 no continente.

Os dados dos indíces R(t) e da incidência são atualizados à segunda-feira, quarta-feira e sexta-feira.

Fernando Medina avisa que Lisboa vai recuar no desconfinamento

Em entrevista à Renascença e ao jornal Público, o presidente da Câmara de Lisboa assume que os casos de covid-19 na capital estão ainda em crescimento e que o concelho vai mesmo recuar no desconfinamento.

O autarca relembra que o impacto será sobretudo sentido pela área da restauração, que poderá voltar a ter de fechar portas às 15:30 aos fins de semana e feriados.

Fernando Medina pede ainda uma mudança na matriz de risco, indicador que determina as linhas vermelhas para as condições de desconfinamento.

Lisboa já ultrapassou a linha vermelha e tem mais de 240 casos de infeção por 100 mil habitantes. A capital, em risco elevado, está há três semanas acima dos 120 casos por 100 mil habitantes, sendo que no último relatório semanal o valor subiu para os 306 casos por 100 mil habitantes.

Costa admite aplicar quarentena a cidadãos que cheguem do Reino Unido

O Conselho Europeu debate esta quinta-feira novas restrições para controlar a pandemia e António Costa admite a possibilidade de ser imposta quarentena aos cidadãos que viagem a partir do Reino Unido.

O primeiro-ministro diz que se esse for o entendimento da União Europeia, Portugal aplicará as mesmas regras, afirmando que o Reino Unido “não tem tratamento de exceção” e que a medida já se aplica a outros países.

Os líderes reúnem-se com a situação epidemiológica na agenda e, em concreto, abordar a ameaça que representam as novas variantes, segundo fontes europeias.

Tratamento polémico para a covid-19 com antiparasitário em estudo em Oxford

A Universidade de Oxford anunciou na quarta-feira que está a estudar o medicamento antiparasitário ivermectina como um possível tratamento precoce para a covid-19 e assim evitar hospitalizações.

Estudos em laboratório têm mostrado que a ivermectina tem efeitos antivirais, nomeadamente na redução da replicação do vírus SARS-CoV-2 se administrados em doses mais elevadas que as aprovadas como antiparasitário.

Mais de 3,8 milhões de mortos no mundo

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.893.974 mortos no mundo, resultantes de mais de 177 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Os países com o maior número de mortos são os Estados Unidos, o Brasil, a Índia, o México e o Peru.

A covid-19 é uma doença respiratória causada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2 detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

A grande maioria dos pacientes recupera, mas uma parte evidencia sintomas por várias semanas ou até meses.

Links úteis

Mapa com os casos a nível global