A vacinação em Portugal e no Mundo

"Em 65 anos, é a primeira vez que países suspendem um medicamento sem a recomendação da EMA"

Análise de Dulce Salzedas, jornalista da SIC especializada em Saúde.

A Agência Europeia do Medicamento (EMA) assegurou esta quinta-feira que a vacina da AstraZeneca contra a covid-19 "é segura e eficaz", não estando também associada aos casos de coágulos sanguíneos detetados, que levaram à suspensão do seu uso.

Dulce Salzedas, jornalista da SIC especializada em Saúde, considera que se trata de uma decisão já prevista, tendo em conta o que os especialistas foram dizendo ao longo da semana, afirmando sempre que os benefícios superam os riscos, e a Organização Mundial da Saúde, que recomendou que o fármaco continuasse a ser administrado.

A jornalista da SIC sublinha duas questões que considera pertinentes. "Em 65 anos, é a primeira vez na existência da EMA que os países tomam uma decisão de suspender um medicamento, sem uma recomendação da EMA para que o façam", afirma.

"Estas decisões de suspensão da vacina podem ter um fundo político, como forma de pressionar a AstraZeneca a cumprir o acordo que fez com a Comissão Europeia, em termos do número de vacinas e distribuição", sublinha.

No entanto, Dulce Salzedas teme que a AstraZeneca não consiga cumprir, uma vez que está com algumas dificuldades de produção em fábricas da Europa.

  • Vamos falar de jejum: era capaz de ficar 16 horas por dia sem comer?

    País

    O jejum intermitente é um regime alimentar que impõe um período de restrição alimentar. Existem vários modelos, mas o mais conhecido é dividido em 16 horas de jejum e oito horas em que pode comer livremente. Os especialistas reconhecem benefícios nesta prática, mas afirmam que a investigação científica ainda é escassa.

    Exclusivo Online

    Filipa Traqueia