Vacinar Portugal

Covid-19. Portugal vai reconhecer AstraZeneca de fabrico indiano e chinesa Sinovac

Notícia SIC

Países da União Europeia têm liberdade para reconhecer vacinas.

Portugal vai reconhecer as vacinas da AstraZeneca de fabrico indiano e a chinesa Sinovac. A decisão do Infarmed será aplicada em norma da Direção Geral da Saúde. Até lá, muitos passageiros oriundos de países de risco vão ter de continuar a fazer quarentena.

Não há uma só resposta à pergunta "que vacinas são reconhecidas nos países da União Europeia e nos outros seis que aderiram ao certificado de vacinação?".

Por exemplo, a França, a Croácia e a Irlanda reconhecem a AstraZeneca de fabrico indiano.

A Suécia alarga a tolerância a todas as vacinas autorizadas pela Organização Mundial de Saúde, como é o caso da chinesa Sinovac.

Já, por exemplo, Portugal, a Alemanha, a Noruega e Bulgária limitam-se às quatro aprovadas pela EMA: Pfizer, Moderna, AstraZeneca e Janssen.

A União Europeia deu liberdade a cada Estado-membro para reconhecer vacinas além das quatro que fazem parte do certificado europeu de vacinação.

Implica que quem chega a Portugal vindo de países com uma vacina fornecida por outros laboratórios tem de fazer teste PCR ou antigénio e, nalguns casos, cumprir o isolamento. É o caso dos passageiros do Brasil, África do Sul, Índia ou Nepal.

A comunidade luso-brasileira aproveitou a visita do Presidente português para pedir o reconhecimento da Covishield, da AstraZeneca e da Coronavac, do Instituto Butantan. As vacinas mais usadas naquele país.

A Autoridade Nacional do Medicamento resolveu reconhecer duas delas: a Covishield, da AstraZeneca, e a chinesa Sinovac.

Segundo o Infarmed, a Direção-Geral da Saúde está a fazer as orientações para pôr em prática o reconhecimento dessas vacinas.