Tira-Teimas

Quando é que o árbitro pode recuperar tempo perdido durante o jogo?

Duarte Gomes

Duarte Gomes

Comentador SIC Notícias

Inês M. Borges

Inês M. Borges

Designer Gráfica e Multimédia

A Lei 7 (A duração do jogo) estabelece as várias situações que devem levar o árbitro a prolongar cada parte, de forma a recuperar o tempo perdido nesse período.

Como podem consultar de forma mais dinâmica e apelativa no vídeo acima, devem ser consideradas:

1. As substituições (está recomendado que o árbitro conceda 30 segundos por cada uma, desde que não ocorram quaisquer constrangimentos);

2. A avaliação das lesões e/ou o transporte de jogadores para fora do terreno de jogo.

Por regra, os atletas não podem ser tratados dentro de campo. Há um tempo que deve ser equacionado para o processo em que são avaliados pelas respetivas equipas médicas e depois transportados para o exterior do campo;

3. As perdas de tempo (aqui cabe a equação de todo o tempo perdido pelos jogadores no sentido de retardarem o recomeço de jogo);

4. As sanções disciplinares (se a exibição de cartões demorar algum tempo ou se ocorrer em quantidade numa só parte, a perda de tempo deve ser contabilizada);

5. As paragens médicas previstas, em função da temperatura exterior, para a hidratação (que não deve exceder 1') e/ou arrefecimento de jogadores (entre 90" e 3');

6. Os atrasos devido aos checks/revisões efetuadas pelo videoárbitro (todo o tempo utilizado nesse procedimento deve ser tido em conta no final de cada período de jogo);

7. Qualquer outra causa, incluindo atraso significativo num recomeço de jogo (por exemplo, se a celebração de golos for mais demorada do que é expetável).

Tudo isto deve ser equacionado para que o tempo de jogo real seja tão próximo quanto possível do que é justo, do que salvaguarde ao máximo a verdade desportiva.

Importa ainda salientar a importância do 4A neste processo: ele deve indicar (através da placa eletrónica /manual que dispõe para o efeito) qual o tempo adicional mínimo (sempre o mínimo) que o árbitro decidiu atribuir em cada período de jogo.

Esse tempo nunca pode ser encurtado mas pode ser aumentado, se entretanto existirem novas paragens de jogo que justifiquem o seu prolongamento.

Convém salientar ainda que o árbitro não pode compensar um erro de cronometragem ocorrido na 1P, aumentando ou reduzindo o tempo de jogo da 2P. Obviamente.

VEJA TAMBÉM:

A PÁGINA DO TIRA-TEIMAS

A PÁGINA DE DUARTE GOMES NA SIC NOTÍCIAS

A PÁGINA DE DUARTE GOMES NO YOUTUBE