Saúde Mental

Saúde mental: deixar de sofrer em silêncio

Canva

Pedir ajuda aos amigos, aos familiares, ao médico de família ou ao psicólogo é o grande passo para a recuperação.

A doença mental não acontece só aos outros. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, uma em cada quatro pessoas será afetada por uma perturbação mental em determinada fase da vida.

Os números oficiais indicam que milhões de pessoas sofrem de perturbações mentais em todo o mundo. Muitas sofrem em silêncio. Além do sofrimento e, por vezes, da falta de cuidados, existem as fronteiras do estigma, da vergonha e da exclusão. A carga social da doença mental é muito grande.

Ao longo da História, as pessoas com algum tipo de perturbação mental foram muitas vezes vistas como loucas, uma ideia que tem resistido, mesmo depois dos significativos avanços da ciência.

Nos últimos anos, novas informações dos campos da neurociência e da medicina do comportamento trouxeram avanços à maneira de ver o funcionamento mental.

É possível agora perceber que muitas das doenças mentais são influenciadas por uma combinação de fatores biológicos, psicológicos e sociais.

A QUEM E ONDE PEDIR AJUDA?

As perturbações mentais resultam de muitos fatores que têm a sua base física no cérebro. Já sabemos que podem afetar todos, em toda a parte. E sabemos também que podem ser tratadas eficazmente.

É, por isso, fundamental manter-se informado e estar atento e, aos primeiros sinais de alerta, pedir ajuda.

Ao longo da vida, as pessoas são afetadas por diversas situações emocionais e muitas vezes é o corpo o primeiro a dar sinal de que algo não está bem, mas nem sempre é fácil interpretar os avisos.

Importa peceber que, quando o grau ou a duração do sofrimento emocional são sentidos como excessivos, é importante recorrer a um profissional de saúde, de preferência com competência psicoterapêutica. Além disso, também as associações de doentes, familiares e cuidadores podem ter um papel fundamental.

Que tratamento deve ser feito?

Existem várias formas de tratar doentes com perturbações mentais. A escolha do tratamento e a sua duração são definidos por um profissional especializado e vão sempre depender do quadro clínico de cada paciente.

Em alguns casos, o tratamento não cura, mas ajuda significativamente a reduzir os sintomas. É o caso das pessoas que sofrem de esquizofrenia. Já doenças como a ansiedade ou a depressão têm cura e podem ser tratadas com recurso a medicação, terapias ou ambos.

Acompanhe o especial Saúde Mental

VEJA TAMBÉM:

  • A Psicologia da Pandemia

    Desafios da Mente

    O ano de 2020 marcou um momento histórico que será estudado e recordado, provando que o mundo não estava preparado para as múltiplas alterações provocadas pelo impacto de uma pandemia como a COVID-19.

  • A vida nunca mais foi a mesma desde aquela noite

    Saúde Mental

    "Quis contar a minha história ao pormenor por vários motivos: não por ser um drama razoavelmente bom, mas porque não quero que outros se sintam sozinhos nesta difícil jornada. Não sou especialista para vos aconselhar de forma certeira, mas posso enumerar algumas coisas que tenho aprendido". Este é um testemunho, sem nome, sem rosto, que aqui é o menos importante, de quem aceitou partilhar momentos intímos com o objetivo de ajudar os outros.