Orçamento do Estado

Líder do PAN critica Rio e Marcelo e não nega acordo com o PS

Entrevista SIC Notícias

Inês de Sousa Real comentou o chumbo do Orçamento do Estado na SIC Notícias.

A líder do PAN, Inês de Sousa Real, refere que o chumbo do Orçamento do Estado, sem ir a discussão na especialidade, é uma irresponsabilidade, lançando críticas a Rui Rio e a Marcelo Rebelo de Sousa, não fechando a porta a um entendimento com o PS.

Para Inês de Sousa Real, houve irresponsabilidade dos partidos em não levar a discussão do Orçamento do Estado para a especialidade, tanto da Esquerda, como da Direita, e acusa os partidos de "faltar ao país".

Acrescenta que "apenas em maio se debaterá a economia, tendo ainda um PRR para gerir", o que considera uma situação grave para o país.

A líder do PAN considera-se de consciência tranquila por "tudo ter feito para haver um Orçamento", mesmo que o seu partido tenha optado pela abstenção, por dizer que "não faz sentido aprovar um Orçamento que tem de ser melhorado".

Para Inês de Sousa Real, "Rio também tem culpa" pela situação atual, e acusa a Direita de ter "sede eleitoral".

A líder do partido ambientalista também critica o Presidente da República, que diz ter-se "precipitado ao anunciar, antes do resultado na Assembleia da República, uma dissolução parlamentar", e que diz "ter de perceber em que papel quer estar: o de criar ruído" ou de ajudar no processo negocial.

Considera ainda que a discussão sobre um segundo Orçamento do Estado poderia ser uma solução, mas não considera provável, num momento que pensa "prejudicar a confiança em Portugal ao nível internacional".

O cenário de eleições não preocupa a número um do PAN, que diz que o partido tem estabilidade, ao contrário de outros.

Nega, por fim, "fazer futurologia" e chuta para mais tarde a possibilidade de acordos com o PS, garantindo, no entanto, que "o PAN está sempre disponível para assumir as responsabilidades que os portugueses quiserem".

Veja também: