Orçamento do Estado

Marcelo relembra risco de eleições antecipadas

Algo que pode vir a acontecer caso o Orçamento do Estado para 2022 não seja aprovado.

O Presidente da República reafirma que não há uma segunda alternativa ao chumbo do Orçamento do Estado e dissolve o Parlamento logo a seguir. Depois de ouvir o PCP, esta segunda-feira, Marcelo Rebelo de Sousa lembrou o alerta que fez aos partidos para o risco de eleições antecipadas.

"Ou há Orçamento ou avanço para dissolução", admite.

O chefe de Estado avisa que, perante a decisão do PCP e com o Bloco de Esquerda a votar contra, se nada mudar até esta quarta-feira, vai "ponderar" e tentar "perceber o estado de espírito dos diversos protagonistas".

Esta segunda-feira as deputadas não inscritas, Cristina Rodrigues e Joacine Katar Moreira, anunciaram que se vão abster na votação na generalidade, com o PAN a acompanhar a mesma decisão.

O PCP e o Partido Ecologista Os Verdes (PEV) também anunciaram esta segunda-feira que vão votar contra.

Neste momento, o documento tem anunciados 108 votos a favor (PS), 117 votos contra (PSD, CDS-PP, Chega, IL, PCP, BE e PEV) e cinco abstenções (PAN e as duas deputadas não inscritas Joacine Katar Moreira e Cristina Rodrigues).

Veja também: