A SIC em Tóquio

Taku apaixonou-se pelo fado. Vive em Tóquio, mas tem o coração nos bairros antigos de Lisboa

Enviados SIC

Mário Cabrita

Mário Cabrita

Repórter de Imagem

Ouviu Amália numa loja de discos em Tóquio. Foi aí que começou a paixão pelo fado e pela voz da portuguesa.

Vamos conhecer um japonês que se apaixonou por Portugal através da música. Vive em Tóquio, mas tem o coração nos bairros antigos de Lisboa.

Tudo começou quando tinha 19 anos. Numa loja de discos em Tóquio ouviu Amália. Rendeu-se e comprou um CD. Deixou-se levar pela paixão e começou a viver um amor platónico.

Aos 45 anos, Taku já perdeu a conta às vezes que foi a Portugal. Chegou a viver em Lisboa durante quatro anos. Aprendeu fado e o sentido daquela palavra que só existe em português.

É fadista em Tóquio. Dá concertos e tem três álbuns editados. Enquanto a pandemia durar, canta no Youtube e na taberna dos pais. Espera por uma oportunidade para regressar a Portugal. Apesar de ligar pouco a desporto, encurtou distâncias durante os Jogos Olímpicos através da televisão.

  • Vamos falar de jejum: era capaz de ficar 16 horas por dia sem comer?

    País

    O jejum intermitente é um regime alimentar que impõe um período de restrição alimentar. Existem vários modelos, mas o mais conhecido é dividido em 16 horas de jejum e oito horas em que pode comer livremente. Os especialistas reconhecem benefícios nesta prática, mas afirmam que a investigação científica ainda é escassa.

    Exclusivo Online

    Filipa Traqueia