Jogos Olímpicos

Portugal nos Jogos Olímpicos. Quem foi eliminado e quem continua

Maja Hitij

Jogos Olímpicos Tóquio 2020 prolongam-se até ao dia 8 de agosto.

Nos Jogos Olímpicos, Shao Jieni passou à segunda ronda no ténis de mesa. João Almeida ficou em 13.º no ciclismo. A judoca Catarina Costa, que foi repescada, perdeu o combate pela medalha de bronze. Quantos aos remadores Pedro Fraga e Afonso Costa, conseguiram manter o terceiro lugar na eliminatória e no domingo vão à prova de repescagem.

Portugal estreou-se no andebol com uma derrota frente ao Egito, por 37-31. Tiago Apolónia apurou-se para a segunda ronda de singulares de ténis de mesa. No ensino (equestre), Portugal está dentro da qualificação por equipas.

De fora estão já o lutador de taekwondo Rui Bragança e a dupla de tenistas João Sousa e Pedro Sousa. A dupla foi eliminada na primeira ronda e Pedro Sousa já tinha sido também eliminado em singulares. João Sousa joga na próxima madrugada.

Os Jogos Olímpicos Tóquio 2020 abriram oficialmente na sexta-feira, com a Cerimónia de Abertura, e prolongam-se até ao dia 8 de agosto.

Shao Jieni na segunda ronda no ténis de mesa

A mesatenista Shao Jieni esteve com um 'pé' fora dos seus segundos Jogos Olímpicos, mas uma recuperação notável frente à jovem sueca Christina Källberg permitiu-lhe passar de 0-3 para 4-3 na primeira ronda de singulares em Tóquio 2020.

"Nos Jogos Olímpicos fico mais nervosa... Realmente, estava muito nervosa. A perder por 3-0 pensei que devia ter calma. E foi assim que comecei a jogar melhor. Antes, estava nervosa e a jogar mal, com o corpo rígido e lento", revelou, em declarações à Lusa.

A portuguesa, de 27 anos, 63.ª do ranking olímpico, acabou por aproveitar a maior experiência em pontos importantes, materializando a recuperação com 11-6, 11-5, 11-8 e 11-6 frente à 149.ª da classificação, a terceira jogadora da equipa sueca.

"Estava a jogar muito mal e a facilitar-lhe o jogo, mandando-lhe as bolas para a esquerda, situação na qual ela é bastante forte. A perder por 3-0 decidi mudar de lado e compliquei-lhe a vida", contou ainda.

Yu Menyu, de Singapura, a 45.ª atleta do ranking olímpico, é a próxima adversária de Shao Jieni, que foi 33.ª no Rio2016, em que atingiu, igualmente, a segunda ronda.

"Quero chegar à terceira ronda, mas para isso acontecer tem de sair tudo bem, pois ela é muito boa, uma atleta forte. Tenho de fazer um jogo perfeito e é isso que vou tentar", completou a representante de Portugal.

Thomas Peter

João Almeida em 13.º no ciclismo

O português João Almeida foi este sábado 13.º classificado na prova de fundo masculina de ciclismo de estrada dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, ganha a solo pelo equatoriano Richard Carapaz.

Almeida chegou em 13.º, a 3.03 minutos do vencedor, no que foi a sua estreia em Jogos Olímpicos, enquanto Nelson Oliveira foi 41.º, a 10.12, nos terceiros Jogos: abandonou no Rio2016 e foi 69.º em Londres2012, no fundo, com um sétimo lugar no contrarrelógio de há cinco anos.

Os portugueses voltam à ação na quarta-feira, para um contrarrelógio de 44,2 quilómetros com início e fim na pista de Fuji, com Portugal a ter ainda Maria Martins no ciclismo de pista e Raquel Queirós no 'cross country' olímpico, dentro do ciclismo.

Judoca Catarina Costa falha o bronze

A judoca Catarina Costa perdeu o combate pela medalha de bronze. Terminou em quinto lugar na na categoria de -48 kg nos Jogos Olímpicos, ao perder no combate com a mongol Urantsetseg Munkhbat.

Catarina Costa, oitava do 'ranking' mundial e que fazia a estreia em Jogos Olímpicos, acabou derrotada por Munkhbat, quarta do mundo, por 'ippon', a 54 segundos do fim do combate.

Foi terceira vez que a portuguesa defronta Munkhbat, judoca com quem Catarina Costa perdeu em 2018, nos quartos de final dos Mundiais de Baku e no Grand Slam de Abu Dhabi.

Antes, a judoca tinha vencido a azeri Aisha Gurbanli (34.ª do mundo) e a chinesa Yanan Li (22.ª) ainda no quadro principal, e a campeã olímpica Paula Pareto (sexta), já na repescagem, e perdido com a ucraniana Daria Bilodid (segunda), no acesso às meias-finais.

Sergio Perez

Pedro Fraga e Afonso Costa em "repescagem competitiva"

O remador Pedro Fraga admitiu que a dupla que faz com Afonso Costa está preparada para tentar chegar às meias-finais no double-scull ligeiro do remo de Tóquio2020, enfrentando para isso "uma repescagem muito competitiva".

Em declarações à Lusa após o terceiro lugar na eliminatória, atrás de Itália e Alemanha, respetivamente prata e bronze nos Mundiais de 2019, o experiente remador lembrou o plano que ambos tinham de se focarem na repescagem.

"Já sabíamos que Itália e Alemanha iam tentar tomar posição cedo, connosco à disputa. Saímos bem da largada, o início da prova foi boa. Ali pelos 500 metros, começaram a ganhar-nos terreno, muito focados um no outro, a distanciar-se um pouco mais. Optámos por tirar o pé, porque amanhã [domingo] temos a repescagem e isso seria sempre o nosso objetivo inicial", explicou.

Na repescagem, a dupla vai enfrentar equipas do Uruguai, Ucrânia, Canadá, Chile e Tailândia, com uma corrida a seis em que os três melhores registos seguem em frente.

"É uma repescagem muito competitiva. Sem estar a fazer grande prognóstico sobre as equipas, a outra série seria muito mais tranquila, digamos assim. Não tivemos essa 'sorte', entre aspas, mas estamos aqui para discutir a vitória na repescagem. O sorteio não vai condicionar o nosso plano e aquilo que andamos a trabalhar para fazer amanhã [domingo]", declarou.

No remo, os dois primeiros de cada uma das três eliminatórias avançam para as 'meias', enquanto as 12 tripulações remanescentes vão, no domingo, disputar as seis vagas por preencher, com os três mais fortes de cada uma das duas competições a qualificarem-se.

LUIS ACOSTA

João Sousa é o último resistente português no ténis

A derrota dos tenistas João Sousa e Pedro Sousa na primeira ronda do torneio de pares dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, ante uma dupla da casa, deixou o primeiro como último resistente português na modalidade.

Os 'Sousas' foram eliminados pelos japoneses Kei Nishikori e Ben McLachlan, numa partida em que a um primeiro 'set' penalizador, perdido por 6-1, se seguiu um outro muito mais equilibrado, mas insuficiente, 'entregue' por 6-4.

A consistência e versatilidade dos japoneses, sobretudo a servir, deitou por terra a resistência lusa, que ainda salvou cinco de oito pontos de 'break' enfrentados, mas não conseguiu mais do que fazer frente aos nipónicos, com seis ases (contra zero dos lusos) no jogo todo, ganhando 78% dos pontos de serviço tentados, contra 56% dos lusos.

O jogo começou logo arrasador para João e Pedro, com cinco jogos perdidos de enfiada, antes de fazerem o 5-1, que acabou por ser apenas uma formalidade até Nishikori e McLachlan fecharem a primeira metade.

Vencer o primeiro jogo do segundo 'set' deu alento aos portugueses, que também se colocaram a vencer por 2-1 antes de consentirem a reviravolta, e com isso voltarem a ceder a iniciativa da partida, com a equipa 'da casa' a não mais ceder o controlo na frente do marcador até fecharem a partida ainda antes da hora de jogo no Ariake Tennis Park.

A dupla não conseguiu fazer o que João Sousa havia conseguido no Rio2016, então ao lado de Gastão Elias: chegar à segunda ronda, o que então lhes valeu o nono lugar nessa tabela.

Antes, já Pedro Sousa tinha perdido em singulares com o espanhol Alejandro Davidovich Fokina, 16.º cabeça de série, por 6-3 e 6-0, num jogo de uma hora e dois minutos.

João Sousa, 137.º do mundo, segue em prova em singulares, na qual se estreia na primeira ronda frente ao checo Tomas Machac, 145.º tenista mundial. No Rio2016, chegou à segunda ronda.

Rui Bragança fora da prova de taekwondo

O lutador de taekwondo Rui Bragança ficou definitivamente fora da prova de -58 kg de taekwondo dos Jogos Olímpicos, depois do adversário que o venceu na primeira ronda ter sido afastado nos 'quartos' em Tóquio2020.

A derrota, na estreia, por 24-9, frente ao jovem Adrian Vicente Yunta deixava a continuidade do vimaranense em prova nas mãos do espanhol, que acabou por cair ao segundo combate, por 24-19, ante o sul-coreano Jang Jun, atual campeão do mundo e líder do 'ranking' da categoria.

Para o português de 29 anos poder disputar um dos dois bronzes, Yunta precisava de chegar à final no Makuhari Messe Hall A, sendo que, posteriormente, Rui Bragança tinha de ganhar ao segundo adversário do espanhol -- o coreano que o eliminou --, além da luta que decidiria o terceiro posto.

Rui Bragança, o segundo mais velho entre os 16 participantes na sua categoria, e que disse que vai tentar qualificar-se para Paris2024, tinha sido nono no Rio2016 após ganhar um combate.

RUNGROJ YONGRIT

José Paulo Lopes falha final nos 400 metros estilos

O nadador português José Paulo Lopes fez este sábado o 20.º melhor tempo nas eliminatórias dos 400 metros estilos dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, falhando o acesso à final, mas conseguindo um novo recorde pessoal.

Lopes, que se estreou em Jogos Olímpicos, nadou a distância em 4.16,52 minutos, um novo máximo pessoal, batendo por mais de dois segundos o segundo da série, o equatoriano Tomás Ávila, segundo e por quase cinco o israelita Ron Polonsky, terceiro.

Naquela que foi a primeira série de natação destes Jogos, Lopes venceu o 'heat' de forma confortável, apesar de um arranque menos bom nos primeiros 50 metros, em que era apenas o quarto mais rápido.

Aos 100 metros, já era segundo, e assumiu a partir daí uma margem de liderança que foi gerindo, e aumentando, até ao final da prova no Centro Aquático de Tóquio.

Ainda assim, o registo não permite ao português seguir em frente para a final, que reúne os oito melhores tempos, ficando a mais de seis segundos do último apurado. O melhor tempo foi do australiano Brendon Smith, com 4.09,27.

José Paulo Lopes, um de oito portugueses na natação, seis na piscina e dois em águas abertas, volta a competir nos 800 metros livres, a outra distância em que conseguiu apurar-se.

Portugal estreia-se no andebol com derrota frente ao Egito

A seleção portuguesa de andebol perdeu frente ao Egito por 37-31, na estreia em torneios oficiais de modalidades coletivas de pavilhão em Jogos Olímpicos, a contar para a primeira jornada do Grupo B.

O Egito lidera o agrupamento, com os mesmos dois pontos da Suécia, vice-campeã do mundo, que sofreu hoje para vencer o Bahrain, por 32-31, enquanto a campeã do mundo, Dinamarca, defrontará o anfitrião Japão às 21:30 locais (13:30 em Lisboa).

Os quatro primeiros classificados de cada um dos dois grupos avançam para os quartos de final do torneio olímpico.

Na segunda-feira, a seleção lusa defronta o Bahrain, novamente às 19:30 (11:30), no Yoyogi National Stadium.

Susana Vera

Portugal dentro da qualificação por equipas no ensino

Portugal ocupa, após o primeiro de dois dias de qualificação no ensino (equestre) dos Jogos Olímpicos, a quinta posição na tabela de apuramento para a fase seguinte por equipas, após competirem Maria Caetano e Rodrigo Torres.

No quadro coletivo, a participação portuguesa está bem colocada, após Caetano ter somado 2264 pontos e Torres outros 2338,5, com João Miguel Torrão a entrar em ação no domingo para completar o esforço coletivo.

Na tabela individual, em que avançam os dois melhores de cada grupo e os seis outros melhores classificados entre todas as 'poules', Maria Caetano foi quarta no grupo B, com Rodrigo Torres no quinto posto no C.

Além da equipa de ensino, Portugal conta com Luciana Diniz, nos saltos de obstáculos, na equipa de equestre.

Alkis Konstantinidis

Tiago Apolónia avança no ténis de mesa

O português Tiago Apolónia apurou-se este sábado para a segunda ronda de singulares de ténis de mesa dos Jogos Olímpicos, com um 4-0 frente ao campeão africano, o nigeriano Olajide Omotayo.

No Ginásio Metropolitano de Tóquio, Apolónia, 57.º do ranking olímpico, impôs-se pelos parciais de 11-7, 11-9, 11-6 e 11-5 ao 93.º da mesma classificação.

O indiano Kamal Achanta, 29.º da mesma ordem, é, na segunda-feira, o próximo adversário do luso.

Em quatro presenças olímpicas, Tiago Apolónia tem três em singulares, destacando-se o seu 17.º lugar no Rio2016.

Kin Cheung

Artigo em atualização.

A SIC EM TÓQUIO

VEJA TAMBÉM: