George Floyd

Outros três polícias envolvidos na morte de George Floyd vão ser acusados

Ringo H.W. Chiu

Ministério Público norte-americano agravou para homicídio em segundo grau a acusação do agente da polícia que provocou a morte a George Floyd e, pela primeira vez, acusou os três outros agentes que o acompanhavam.

Procurador-Geral do Minnesota vai acusar também os outros três polícias envolvidos na morte de George Floyd, nos Estados Unidos.

O Star Tribune refere que o Procurador-Geral do Minnesota, Keith Ellison, tem intenção de agravar a acusação contra Chauvin para homicídio em segundo grau e também acusar os agentes Thomas Lane, J. Kueng e Tou Thao por apoio e incentivo ao homicídio.

O anúncio oficial de Ellison está previsto ainda para esta quarta-feira, uma semana depois da morte de George Floyd.

A senadora do Minnesota, Amy Klobuchar, já se manifestou no Twitter.


O agente Derek Chauvin, despedido a 26 de maio, começou por ser acusado de homicídio em terceiro grau e homicídio involuntário em segundo grau e os outros três polícias envolvidos tinham sido apenas demitidos.

A família de George Floyd e os milhares de manifestantes que continuam a protestar contra a morte do afro-americano têm repetidamente exigido acusações contra os quatro agentes. A chefe da polícia de Minneapolis, Medaria Arradondo, disse mesmo que os quatro eram "cúmplices" da morte de Floyd.

O mundo em protesto pela morte de George Floyd

As manifestações de indignação pela morte de George Floyd às mãos da polícia estenderam-se a mais de 140 cidades norte-americanas, mas vão muito além das fronteiras dos Estados Unidos.

Papa condena morte de George Floyd: "Não podemos tolerar nem fechar os olhos ao racismo"

O Papa Francisco condenou a morte de George Floyd. Na missa da manhã desta quarta-feira, no Vaticano, Francisco disse que o racismo e a exclusão não podem ser ignorados nem tolerados, mas também se mostrou contra a violência de alguns dos protestos nos Estados Unidos.