Eleições nos EUA

Capitólio é transformado em quartel-general. Washington prepara-se para o dia 20 de janeiro

Erin Scott

Câmara dos Representantes dos EUA aprovou a destituição de Donald Trump. Joe Biden toma posse a 20 de janeiro.

No Capitólio está já instalado o novo quartel da Guarda Nacional dos Estados Unidos. Milhares de militares ocuparam o edifício para proteger os congressitas.

O dispositivo faz parte da operação montada para a tomada de posse de Joe Biden em Washington. Vinte mil soldados armados foram mobilizados para garantir que os protestos, convocados por 16 grupos pró-Trump, não voltam a ficar descontrolados.

O FBI vem agora contrariar a tese de que as autoridades foram apanhadas de surpresa no dia 6 de janeiro. Fala em investigação sem precedentes e diz ser impossível resolvê-la nas próximas semanas. Mas garante que vai intensificar a operação e admite formalizar acusações que podem resultar em 20 anos de cadeia.

Câmara dos Representantes dos EUA aprova destituição de Donald Trump

A poucos dias da tomada de posse de Joe Biden, Donald Trump enfrenta um processo histórico de destituição. É a primeira vez que um Presidente norte-americano passa por dois impeachments durante um mandato.

Bastavam 218 votos para aprovar a impugnação e foram recolhidos 232, incluindo o de 10 republicanos que quiseram punir o Presidente por "incitamento à rebelião". Esta decisão só terá efeito se for aprovada pelo Senado, mas ainda não há uma data marcada para a votação.

Donald Trump diz que este processo só vai servir para dividir ainda mais o país.

Cenário de guerra no Capitólio

O chefe da Polícia de Washington, Robert Contee, tinha já anunciado esta quarta-feira que aumentou para mais de 20.000 o número de soldados da Guarda Nacional destacados para a cerimónia de investidura de Joe Biden, a 20 de janeiro.

Até agora, o número máximo de soldados a serem destacados para a tomada de posse do Presidente eleito foi estabelecido entre 10.000 e 15.000, muitos dos quais estiveram aquartelados na noite passada dentro do Capitólio, que em 6 de janeiro foi atacado por uma multidão violenta de apoiantes do Presidente cessante, Donald Trump.

O Pentágono considera que o número de membros da Guarda Nacional destinados a reforçar a segurança na capital dos Estados Unidos deverá aproximar-se dos 30 mil, a que se adicionam os corpos da Polícia do Capitólio, da Polícia do Parque Nacional, da polícia local de Washington e dos Serviços Secretos, apesar de a cerimónia de investidura se realizar sem a presença de público, por razões sanitárias e de segurança.

  • 3:19